Ney se diverte com seu lado cantor e cria nova superstição para o Bota

Fúlvio Melo, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Nada como um título para deixar um treinador e torcedores rindo à toa, ou melhor, cantando à toa. Após aparecer soltando a voz em um programa de televisão na segunda-feira, Ney Franco voltou a falar de seu lado cantor depois do último treino do Botafogo que contou com a presença de um torcedor com violão e tudo antes da viagem para Brasília, onde o time enfrenta amanhã o Dom Pedro, na estreia da Copa do Brasil.

Sempre gostei de tocar violão e cantar. A primeira música que aprendi a tocar foi aquela da pulga e do percevejo lembrou Ney Franco.

A aparição do técnico-cantor rendeu algumas gozações e elogios por parte dos jogadores. Leandro Guerreiro apoiou o desempenho do treinador e deu uma nota generosa para o comandante. A mesma sintonia que tem com a equipe, Ney demonstrou com o violão.

Nunca tinha visto o Ney tocar, achei bem legal. Vou dar nota 8 para ele disse o volante.

A prova de que a música entrou mesmo na cabeça de Guerreiro veio logo em seguida. Após ser perguntado sobre a mudança da situação do clube, que atualmente é o único que paga em dia, o jogador acabou, sem querer, citando o maior sucesso de Ney Franco: Na Beira do Caos.

Ninguém queria ser diretor do Botafogo, hoje todos querem. Ano passado estávamos na beira do caos disse Guerreiro, provocando risadas ao redor.

Sempre disse que o refrão era forte. Não sei por que não está nas paradas brincou Ney.

O time heterogêneo, formado este ano, também proporciona um grupo bem eclético. Enquanto Ney adota o estilo pop rock, aliado à MPB, os jogadores possuem gostos bem variados.

Gosto muito de escutar música gospel antes dos jogos. Mas no ônibus o pessoal gosta mesmo é de funk revelou Guerreiro.

Mexida na equipe

Após comemorarem o título, os jogadores alvinegros treinaram na tarde de ontem e seguiram rumo à capital do país. Antes, uma reunião para ressaltar a importância da competição, jamais conquistada pelo clube.

Tivemos uma reunião com o Manoel Renha e ele nos explicou a importância do torneio. Se vencermos, garantimos vaga na Libertadores. Vamos em busca disso disse Leandro Guerreiro.

O Botafogo deve entrar com força máxima e uma mudança. Jean Carioca entra no lugar de Lucas Silva para jogar ao lado de Reinaldo. Victor Simões, ainda acometido por um estiramento, segue fora. A única dúvida é qual zagueiro ficará no banco, para o retorno de Léo Silva: Emerson ou Wellington.

Ainda não defini qual dos dois joga. É uma competição de tiro curto, se for possível evitar o jogo de volta, melhor frisou Ney Franco.

Em busca do segundo título pela Copa do Brasil, torneio que venceu em 2006 pelo Flamengo, Ney afirmou que, em caso de título, estabelecerá uma tradição no clube.

Sempre me cobravam uma superstição. Agora, toda vez que o time for campeão eu vou cantar prometeu o treinador.