Quanta Ladeira leva 40 mil foliões ao Centro de Recife

Agência Brasil

RECIFE - Um dos mais irreverentes blocos da capital pernambucana, o Quanta Ladeira reuniu cerca de 40 mil pessoas na região central da cidade na noite de ontem com músicas tradicionais e novas sátiras os temas vão da crise econômica à sapatada no ex-presidente dos Estados Unidos George Bush e à expectativa em torno de Barack Obama.

Também não escapam das críticas a visita da cantora Carla Bruni (mulher do presidente da França) ao Brasil, a dependência química do ator Fábio Assunção e da cantora Amy Winehouse e a cirurgia plástica da ministra da Casa Civil, Dilma Roussef. O arquiteto Oscar Niemeyer é outro satirizado pelo bloco, no ritmo da música 'La Belle de Jour', de Alceu Valença: 'O Parque da Dona Lindu é feio de cima, de costa e de frente. (...) A dona Lindu. Oscar Niemeyer, arquiteto idoso, fez um projeto feioso'.

O Quanta Ladeira foi fundado em 1994 por músicos de Pernambuco, entre eles Lenine e Zé da Flauta. Um dos integrantes do grupo, o compositor Lula Queiroga, diz que o bloco está testando seus limites. - É engraçado que o que há de novidade no Quanta são músicas antológicas, frevos, que reciclamos para nossa 'fuleiragem', para nossa brincadeira sadia. Tinha gente a mais de meio quilômetro - comemora Queiroga.

- É uma espécie de banda de rock cantando sério coisas completamente absurdas. Pegando música dos outros e transformando. Muita gente diz que, quando ouve essas músicas já consagradas pelo cancioneiro popular, não consegue esquecer a letra do Quanta. São os cânticos quânticos - brinca o compositor.

O bloco também costuma receber críticas de organizações de mulheres, feministas e grupos de combate à dependência química por causa das piadas machistas e das letras sobre o consumo de drogas. Para Queiroga, esse é um dos motivos para o Quanta Ladeira ser limitado ao carnaval.

- O que você espera de um monte de machos falando besteira e dizendo coisas para o ar? A gente tá provocando porque a realidade existe. Ninguém está ali para fazer filosofia. O Quanta é limitado ao carnaval, ele não sai do carnaval. Porque fora do carnaval a gente incorre em vários artigos do Código Penal. Mas no carnaval pode - enfatiza.