Crise econômica desfila no Carnaval de Olinda

Portal Terra

OLINDA - Nem a chuva foi capaz de derrotar a reunião de super-heróis e super-vilões que invadiu as ladeiras de Olinda neste domingo de Carnaval. A irreverência, marca do bloco Enquanto isso na Sala da Justiça, passou pelas ladeiras da cidade, considerada Patrimônio da Humanidade, arrastando foliões de todas as idades.

Desde a concentração, no Alto da Sé, até a apoteose do desfile, em frente à prefeitura, a criatividade tomou conta e cada folião exibiu a sua, sendo responsável pela própria fantasia.

Homem-Aranha, o Super-Homem e o Incrível Hulk foram presenças garantidas, mas quem roubou as atenções este ano foi a "Super-Crise". A bancária Suzana Luna levou para a festa a crise econômica mundial. Notas de dinheiro e bolsas caídas no chão compuseram a fantasia. - Não tinha como deixar a crise de fora - brincou a foliã.

Até o grupo de amigos perdidos numa ilha foi achado nas ladeiras do frevo. Era o Lost em Olinda. A fantasia mostrava um avião sobre um grupo de amigos. Com uma camisa rasgada e a inscrição "SOS Lost em Olinda", os foliões estavam dentro de uma corda e com roupas típicas de quem acaba de sofrer um acidente aéreo.

Para Beatriz Costa, fiel ao bloco há mais de cinco anos, Carnaval só é Carnaval depois do desfile dos super-heróis. - O Sala da Justiça é o bloco mais alto-astral de Olinda. Não tem como vir aqui e não se divertir - diz a foliã.