Crise prejudica, mas Império sai confiante

Marsílea Gombata, JB Online

RIO - O presidente da Império Serrano concorda que a crise prejudicou as escolas do grupo especial, mas garante ter feito tudo o que estava ao alcance da escola. Antes de entrar na Avenida, Humberto Carneiro celebrou ter atingido seu objetivo e aponta como peça-chave a figura da carnavalesca Márcia Lage para o desfile.

- A Márcia foi fundamental e soubemos utilizar da melhor forma possível esse recurso - avaliou Carneiro. - Faltou recurso, mas com muito orgulho vamos fechar com satisfação. E se ficarmos devendo algo será de baixíssimo valor.

Mulher do também carnavalesco Renato Lage, Márcia relaciona a releitura do enredo de 1976, sobre os mistérios do mar, ao empenho e força da escola neste ano.

- Foi preciso repaginar para trazer à tona a Império feliz - conta. - O principal é a leveza, a simplicidade e a sublimação, em um mar de paz e tranquilidade.

O presidente ressalta, ainda, que o fato de ser a primeira escola a desfilar não atrapalha, só aumentou a excitação e mostra-se como mais um desafio a ser encarado com otimismo pela Império.

- É bastante positivo. Ter um Carnaval competitivo era o que queríamos e estamos agora conseguindo.

Para ter sorte nos 80 minutos de glória na Avenida, Carneiro nega sobre ter qualquer ritual para dar sorte, mas confia na "proteção" de São Jorge e Iemanjá.