Estácio faz desfile surpreendente com a história da chita

Vagner Fernandes, JB Online

RIO - Com alegorias e fantasias surpreendentes, coloridas e bem acabadas, a Estácio de Sá, segunda escola a desfilar neste sábado, no Grupo de Acesso, mostrou que veio para disputar o título.

Para contar a história da chita a escola do Estácio foi da Índia ao Tropicalismo, passando pela estética hippie dos anos 70. Gilberto Gil e Caetano Veloso foram homenageados no último carro em enormes esculturas, cujo destaque principal, representando Chacrinha, de cima de um enorme abacaxi, saudava o público arrebatado com tamanha beleza apresentada pelo carnavesloco Cid Carvalho.

Com o enredo 'Que chita bacana' e um samba empolgante, a agremiação fez uma bela passagem pela Marquês de Sapucaí. O segmento final da escola saiu prejudicado em função de uma pequena correria provocada por diretores de Harmonia para evitar o estouro de tempo.

Mas, no saldo final, a Estácio de Sá fez uma exibição que em nada fica a dever às grandes escola do Especial. Ela veio mesmo para brigar pelo retorno ao grupo de elite das escolas de samba.