Blocos já desfilam com mais organização que em 2008

Renata Ramos e Ricardo Schott, JB Online

RIO - Os mais velhos já diziam: no Carnaval de antigamente não havia confusão. Na esteira do choque de ordem, a frase nostálgica fez efeito e todos querem ordem e folia, ambas acontecendo ao mesmo tempo. Representantes dos blocos, prefeitura e, principalmente, os foliões concordam que é preciso organização para que o Rio volte a ter a fama do passado, tanto elogiada. No primeiro fim de semana para valer do Carnaval de rua na cidade, vários blocos arrastaram milhares de pessoas pela cidade. Não estava perfeito, mas já deu para mostrar que os desfiles deste ano serão marcados por ordem e muita alegria. Enquanto os fiscais orientavam os ambulantes e a guarda municipal fazia a segurança da festa, com 193 homens espalhados pelos desfiles de pré-carnaval, o folião só fazia festa.

O objetivo da prefeitura é conscientizar os organizadores dos blocos, o público e os ambulantes de que é preciso haver mais ordem durante todo o ano e fazer um Carnaval com organização afirma Bruno Ramos, subprefeito da Zona Sul, que foi conferir o desfile do Me Esquece, ontem, no Leblon. Preciso vir para saber se as medidas estão sendo cumpridas. Este fim de semana já está mais organizado que o anterior.

A folia foi marcada por fiscais que orientavam os ambulantes. A idéia, segundo os fiscais, não era apreender as mercadorias de quem vendia bebidas durante o desfile e, sim, orientá-los para que não atrapalhassem o andamento da festa.

Estamos aqui para que os ambulantes não impeçam a passagem dos blocos. Outra ação é apreender qualquer bebida que esteja em garrafa de vidro, porque é muito perigoso disse um fiscal no Leblon.

Rita Fernandes, presidente da associação de blocos cariocas Sebastiana, acha que a parceria entre os organizadores dos blocos e a prefeitura valeu a pena.

O desfile deste ano do Imprensa Que Eu Gamo, no sábado foi o mais organizado que eu já vi. Os ambulantes não atrapalharam e havia mais banheiros químicos que nos anos anteriores. Além da polícia que fazia a segurança e da presença dos bombeiros avaliou Rita.