Câncer de pele: prevenção deve começar na infância

Carlos Eduardo dos Santos*, JB Online

RIO - Num país como o Brasil, aos 18 anos a maioria da população já recebeu 80% da radiação ultravioleta que deveria incidir sobre seu corpo durante toda a vida. A consequência mais grave que isso pode ter é o surgimento de uma das três formas mais comuns de câncer de pele os carcinomas basocelular e espino celular e o temido melanoma, a mais grave delas.

Todo câncer na fase inicial tem cura, e como a pele é o maior órgão do corpo, é fácil fazer um autoexame. O alerta são lesões que coçam, sangram ou aumentam de tamanho. Mesmo os carcinomas citados, que não provocam tantos casos de metástase como o melanoma, podem produzir efeitos desagradáveis, como deformações nas regiões próximas aos olhos e ao nariz.

A prevenção do câncer de pele deve começar ainda na infância, porque, depois de alcançar a idade adulta, a pessoa adquire alguns hábitos difíceis de mudar. O uso de roupas, chapéu, barracas de praia é tão ou mais recomendado que o de filtros solares, porque as chamadas barreiras mecânicas têm comprovada eficiência contra os raios ultravioleta. Hoje, existem até roupas apropriadas com ação muito mais eficaz contra essas radiações.

É bom lembrar, porém, que as pessoas não estão livres dos raios UVA (ultravioleta do tipo A) mesmo debaixo de barracas. A areia, formada por cristais de sílica, reflete a radiação e, por isso, muita gente constata ter saído bronzeada apesar de passar todo o tempo debaixo da barraca. Situação semelhante acontece com os azulejos das piscinas.

Em dias chuvosos ou de tempo nublado, a radiação incide sobre os seres humanos de maneira quase tão potente quanto nos dias de céu azul e de sol forte. As nuvens barram pouco os raios UVA. Um dia de praia com vento, qualquer que seja a intensidade, e mormaço, também costuma enganar os banhistas, que relaxam na proteção pensando que não estão expostos. O vento ameniza o calor, mas não a radiação.

Felizmente, nos tipos de câncer de pele que mais ocorrem no Brasil e em todo o mundo, o índice de cura é bastante alto. Aliás, qualquer câncer tratado na fase inicial tem grandes possibilidades de cura.

Mas é bom lembrar que a catarata, que afeta os olhos, também pode ser provocada pela exposição excessiva aos raios solares durante a vida toda.

*Chefe da Dermatologia do Inca