Tessuti se renova com base, com base em Valentino e balés russos

Iesa Rodrigues, JB Online

RIO - Muito lindo o desfile, a coleção e o estilo da Tessuti, assinado por Fafá Cosenza. Baseada no livro e na obra de Valentino e nos balés russos, a moda tem a vantagem de ser requintada, ter o pedigree de alta moda e combinar com o dia-a-dia das festeiras brasileiras.

Porque dificimente será chique ir a uma festa sem usar um modelo em renda chantilly, com laço na cintura (típico de Vaentino) e se esfriar, jogar um caban de cetim por cima, realçado pelo cabelo preso, um certo ar de Grace Kelly no look.

São propostas elegantes, sem o sentido pejorativo e antiquado do termo. Na passarela viraram transgressoras, vestidas sobre bodies e meias pretas, que cobriam até as mãos. Os escarpins pareciam apertar os pés das modelos.

Mais Valentino, nas rosas vermelhas que cobriram saias e enfeitaram vestidos. No final, um painel na escadaria da passarela, com estrelas como Isabeli Fontana e Viviene Orth. E Daiane Conterato, impecável. Impossível não citar as jóias de brilhantes de Priscila Szafir, tão cool quanto a Tessuti.

A Tessuti confirma o jogo do total-black proposto em várias edições, e retomado nesta temporada de inverno, por Walter Rodrigues. Não deixa de ser uma boa notícia...