GP do Brasil não teme ser coadjuvante em 2009

Portal Terra

SÃO PAULO - Após 17 etapas ao longo do ano, Felipe Massa e Lewis Hamilton decidirão o título da Fórmula 1 no Brasil. Apesar de jogar dentro de casa e com o apoio da torcida, o piloto da Ferrari entra como azarão diante do britânico da McLaren. A partir das 15h (de Brasília) deste domingo, de Sakhir, no Bahrein, a Hungaroring, na Hungria, os olhos estarão voltados para Interlagos, palco da "final" da principal categoria do automobilismo pela quarta vez. A partir do ano que vem, no entanto, a corrida em São Paulo corre o risco de virar coadjuvante, já que a prova derradeira foi transferida para os Emirados Árabes.

A perspectiva de ver o Grande Prêmio do Brasil perder importância no calendário da Fórmula 1 em 2009 não assusta Tamas Rohonyi, promotor da corrida. Em entrevista exclusiva ao Terra, o húngaro naturalizado brasileiro disse que não prevê maiores conseqüências com a realização da penúltima prova no País.

- Na prática isso não muda nada. Em 2005, o GP do Brasil foi disputado antes da China e Japão. E mesmo assim o título foi decidido em Interlagos com a vitória de Fernando Alonso, declarou o dirigente.

Desde que passou para a fase final da temporada, Interlagos abrigou a decisão de três campeonatos. Em 2005, quando recebeu a antepenúltima prova, a cidade de São Paulo viu o primeiro título de Fernando Alonso.

No ano seguinte, o circuito voltou a sediar a corrida derradeira e serviu como cenário para o bicampeonato do espanhol.

Em 2007, mantido na mesma posição do calendário, o Grande Prêmio do Brasil foi palco da consagração do finlandês Kimi Raikkonen. Neste domingo, Massa e Hamilton terão 71 voltas para entrar para a história.

Exibido ao vivo e em horário nobre na Europa, o Grande Prêmio do Brasil foi o evento esportivo internacional com maior audiência no planeta em 2007. De acordo com Tamas Rohonyi, a mudança no calendário a partir da próxima temporada não será suficiente para diminuir o faturamento em publicidade da prova realizada em território nacional.

- Isso é muito importante para as emissoras de televisão européias. Aqui no Brasil, isso valoriza o GP que tem como objetivo promover a cidade de São Paulo. Mas isso não interfere nas questões de patrocínio, assegurou.

Ao mesmo tempo em que perde o direito de sediar a última prova, o Brasil se torna o único país nas Américas a receber a Fórmula 1, na medida em que o Grande Prêmio do Canadá foi retirado do calendário pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

Segundo Rohonyi, os organizadores da prova em Montreal ainda estão se esforçando para manter a corrida no país. Para ele, a exclusividade também não faz diferença.

- Recebemos muitos turistas estrangeiros, mas a maioria vem da América do Sul e Europa, explica o promotor do evento.

Questionado se pretende tomar alguma providência no sentido de tentar trazer de volta a última prova para o Brasil, Rohonyi lembrou que o calendário é elaborado pela FIA.

- Nós continuaremos no final do campeonato, mas não necessariamente com a última corrida, declarou.

Ele ainda adiantou que não planeja qualquer tipo de mudança para a próxima edição da corrida em função da crise econômica global.

- Vamos continuar trabalhando da mesma forma, colocando os ingressos no site e trabalhando em parceria com a Prefeitura Municipal e nossos patrocinadores.

Ao invés de se preocupar com a possibilidade de ver de longe a definição do título na próxima temporada, Rohonyi comemora a formação de um público cativo da categoria no País.

- O Brasil tem hoje um público definido de F-1 que lota o Autódromo de Interlagos independente da presença de um piloto brasileiro na disputa do título, declarou.

O promotor recordou que os ingressos para a prova já estavam esgotados em junho, assim como a maioria dos contratos com os patrocinadores. Em 2009, a prova final será realizada em Abu Dhabi, no dia 15 de novembro, 14 dias depois do Grande Prêmio do Brasil.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais