Na última fase de debate, Paes e Gabeira fazem perguntas para o outro

JB Online

RIO - Na terceira parte do debate entre os candidatos à prefeitura do Rio, Eduardo Paes, do PMDB, e Fernando Gabeira, do PV, realizado pela Rádio CBN, os candidatos fizeram perguntas um para o outro. Acompanhe:

Pergunta de Paes para Gabeira: Muito se fala da educação, da aprovação automática, mas eu queria saber como o deputado pretende lidar com a Multi-Rio?

Gabeira: Ainda não tenho uma proposta certa para a Multi-Rio. É claro que a educação a distância é muito importante e como você (Paes) disse, a Multi-Rio é um instrumento fundamental, mas a educação a distância também pode ser feita com parcerias com o Ministério da Educação. Ainda preciso estudar estas propostas.

Pergunta de Gabeira para Paes: Qual a sua visão sobre a Segurança pública no Rio?

Paes: O fundamental é que a partir de janeiro teremos a prefeitura, e o governo estadual e federal trabalhando juntos. As mudanças não serão simples, mas trabalharemos juntos na questão da segurança também. Não adianta falar que o governador é o culpado pela segurança, temos é que trabalhar juntos.

Pergunta de Paes para Gabeira: O que pretende fazer para que o Rio não tenha novo surto de dengue como o deste ano?

Gabeira: O primeiro ponto é começar a trabalhar assim que sair o resultado das eleições e não esperar o dia primeiro de janeiro. É uma questão emergencial. Precisamos primeiro mapear os locais mais atingidos este ano para fazer uma prevenção maior ali. Mas existem casos que não tem como prevenir, e por conta destes casos, precisamos focar na melhor formação dos médicos. Formar mais médicos capazes de diagnosticar a doença. O exame de sangue também precisa ser feito com mais rapidez. Não adianta ter dois grandes centros para atender a doença, não podemos é lotar os hospitais.

Pergunta de Gabeira para Paes: Qual a sua posição sobre a Cidade da Música?

Paes: É um equívoco profundo. Em uma cidade em que tantos morreram pela dengue, em que a única certeza dos pais quando os filhos vão para a escola pública é que eles vão passar de ano pela aprovação automática, em uma cidade mal iluminada, é um equívoco gastar R$600 milhões com a Cidade da Música. Espero que seja concluída e que o atual prefeito arque com todos os gastos até o fim do ano. E aí poderemos usa-lá para aulas de música, usar para ajudar as comunidades carentes. Mas é um absurdo o gasto que foi feito.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais