Bancários rejeitam proposta da Fenaban e greve continua

Adriana Brendler, Agência Brasil

BRASÍLIA - Terminou sem acordo a reunião desta quinta-feira, entre o Comando Nacional dos Bancários e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Os representantes dos trabalhadores rejeitaram a proposta apresentada pela Fenaban durante o encontro na capital paulista em que foram retomadas as negociações entre patrões e empregados, suspensas desde o começo da greve dos bancários. A nova oferta dos banqueiros não foi sequer encaminhada para votação em assembléias.

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ramo Financeiro (Contraf), a Fenaban ofereceu 9% de reajuste para os salários de até R$ 1.500 e para a gratificação de caixa. Para as demais faixas salariais e para os benefícios, a entidade patronal manteve os 7,5% que tinham sido propostos na abertura das negociações no dia 24 de setembro.

Em nota, a Contraf afimou que a proposta não altera praticamente nada a anterior e por isso já foi rejeitada pelo Comando Nacional na mesa de discussão . De acordo com entidade, as negociações prosseguem nesta sexta-feira, às 11h, e a orientação do Comando é manter a greve até que os bancos apresentem uma nova proposta que contemple as reivindicações da categoria.

As 148 bases sindicais dos bancários ligados à Contraf realizam agora à noite assembléias para decidir se acatam ou não a orientação nacional de manutenção da greve.

Até às 20h já tinham optado pela continuação do movimento os bancários de São Paulo, do Distrito Federal, de Juiz de Fora, em Minas Gerais, e dos municípios gaúchos de Santo ngelo e Santa Cruz do Sul.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais