Início da Operação Guanabara é tranquilo no Alemão e na Vila Cruzeiro

JB Online

RIO - O primeiro dia de ocupação de tropas do Exército e da Marinha, na Operação Guanabara, no Complexo do Alemão e na Vila Cruzeiro, na Zona Norte, foi de tranquilidade. Não foram registrados incidentes durante esta quarta-feira. Candidatos fizeram campanha nas comunidades e fiscais do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) apreenderam material irregular de campanha.

De acordo com o porta-voz da Operação Guanabara, cerca de 3.500 militares do Exército participam da ocupação e outros mil estão atuando na reserva e na logística do evento. A Marinha informou que participa da operação nas duas comunidades com 800 homens. As tropas permanecem no local até esta sexta-feira.

- Reafirmamos que não é uma operação de segurança pública. A nossa presença aqui é suficiente para atender os objetivos traçados - disse o coronel Novaes.

Mesmo com a presença dos militares, a rotina de moradores e comerciantes não foi alterada durante o dia. As escolas e o comércio funcionaram normalmente. Vários candidatos aproveitaram o grande aparato militar para fazer campanha. O grande fluxo de veículos na vias de acesso às regiões ocupadas foi intenso e, em algumas, o trânsito apresntou problemas, como na Avenida Itaóca, que margeia o Complexo do Alemão

Fiscais do TRE-RJ promoveram a distribuição de cartilhas, orientaram a população e recolheram farto material de campanha ilegal, como galhardetes. Várias equipes de reportagem, inclusive de órgãos internacionais, também circularam pelas comunidades.

Ainda segundo o coronel Luiz Novaes, 200 homens do Exército ficarão durante a noite no alto do Morro do Alemão. Uma bandeira do Brasil foi hasteada e iluminada. O restante da tropa retorna às comunidades na manhã desta quinta-feira.

O objetivo da Operação Guanabara é garantir a segurança durante o processo eleitoral em comunidades carentes do Rio de Janeiro ameaçadas pela intervenção e pelo domínio de milícias e de traficantes de drogas.