Polícia acha caderno com títulos de eleitor em favela

Portal Terra

RIO - A Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) afirma que foi apreendido nesta manhã um caderno com cadastro de moradores da favela da Foice que inclui nome completo, assinaturas e título eleitoral dos habitantes da comunidade. Não foi divulgado quantas pessoas estariam no cadastro A apreensão ocorreu durante uma operação para prender 10 supostos integrantes de uma milícia que seria controlada pelo deputado estadual Jorge Babu (PT).

Os policiais foram mobilizados para vários bairros do Rio de Janeiro, entre eles, Cachambi e Vista Alegre, na zona norte, Leblon, na zona sul, e Padre Miguel, na zona oeste. Um coronel da Polícia Militar estaria entre os procurados.

Uma equipe foi acionada para cumprir um mandado de busca e apreensão na casa do parlamentar. Até as 9h20, dois presos haviam chegado à sede da Draco: Roberto de Lima, que teve um computador apreendido em casa, e o policial militar Davinilson Freitas dos Santos, que foi preso fardado quando chegava ao batalhão para trabalhar.

Babu foi denunciado à Justiça pelo Ministério Público Estadual (MPE) por formação de quadrilha junto com dez suspeitos, na semana passada. O MPE pediu a prisão preventiva do grupo com exceção do parlamentar que tem foro privilegiado e só pode ser detido em flagrante.

Segundo investigações da Polícia Civil, o grupo supostamente controlada por Babu atua desde 2005 na comunidade da Foice, em Pedra de Guaratiba, assim como nos conjuntos habitacionais Cesarinho, em Paciência, e da rua Murilo Alvarenga, em Inhoaíba, na zona oeste. Os paramilitares cobram taxa de segurança dos moradores e oferecem serviços como TV a cabo pirata.

Foram apreendidos durante a operação materiais que fariam parte da central clandestina de TV a cabo, além de um notebook, dois computadores, um celular e uma placa de campanha do candidato a vereador Elton Babu, irmão do deputado estadual, com a foto dos dois.

Além de Jorge Babu, um outro deputado é suspeito de envolvimento com milicianos: Natalino Guimarães (PMDB). O parlamentar está preso desde o dia 21 de julho e pode ter o mandato cassado pelo plenário da Assembléia Legislativa. Natalino é acusado de chefiar a Liga da Justiça ao lado do irmão, o vereador Jerônimo Guimarães, o Jerominho. Os dois estão na penitenciária Bangu 8, na zona oeste.