Paes passa a frente de Crivella na disputa pela prefeitura, diz IBPS

JB Online

RIO - Na oitava consulta de intenção de votos feita pelo IBPS, Eduardo Paes, candidato do PMDB à prefeitura, passou a frente do senador Marcelo Crivella (PRB).

Paes, que em agosto tinha 16% da intenção de votos, agora aparece com 25%. Já o senador, que antes tinha 20%, caiu para o segundo lugar, tendo agora 19%. Em terceiro lugar vem Jandira Feghali (PCdoB), com 12% da preferência do eleitorado, seguido por Fernando Gabeira (PV), com 8%.

O quadro se completa com Solange Amaral (DEM), com 5%; Chico Alencar (PSOL e Alessandro Molon (PT), com 4%; e Paulo Ramos (PDT), com 1%. Votos brancos e nulos somam 9%. Os candidatos Filipe Pereira (PSC), Antônio Carlos (PCO), Eduardo Serra (PCB) e Vinicius Cordeiro (PTdoB) não atingiram 1%.

Marcelo Crivella é o candidato mais rejeitado, com 32%, seguido por Solange, com 15%; Gabeira, com 11%; Jandira, com 8%; Molon com 7%, Paes, com 6%; e Chico Alencar, Paulo Ramos e Felipe Pereira, com 4%.

Segundo Turno

Em um confronto direto entre Marcelo Crivella e Jandira Feghali, no segundo turno, Jandira teria 46% dos votos contra 32% de Crivella. Os votos nulos somariam 13%, 1% de votos em branco, 8% responderam não saber ou não quiseram responder a essa questão.

Em uma disputa entre Marcelo Crivella e Fernando Gabeira, o primeiro teria 39% dos votos contra 36% de Gabeira. Votos nulos somariam 14%, 1% de votos em branco, 10% responderam não saber ou não quiseram responder a essa questão.

Em um segundo turno entre Marcelo Crivella e Eduardo Paes. Eduardo Paes teria 53% dos votos contra 28% de Crivella, com 10% de votos nulos, 1% de votos em branco, 8% responderam não saber ou não quiseram responder a essa questão.

Se Eduardo Paes e Jandira Feghali se enfrentassem no segundo turno, Eduardo Paes teria 47% dos votos contra 34% de Jandira. Os votos nulos seriam 9%, além de 1% de votos em branco, 9% responderam não saber ou não quiseram responder a essa questão.

A pesquisa, registrada na 228ª ZE, sob o número 025/2008, ouviu, por telefone, 1.100 entrevistados, entre os dias 2 e 4 de setembro. A margem de erro é de 3%, para mais ou para menos.