Cesar dá armas aos adversários de Solange

Marcelo Migliaccio, Jornal do Brasil

RIO - O prefeito Cesar Maia deu armas aos adversários da candidata de seu partido, Solange Amaral (DEM), que tem destacados os aspectos positivos de sua gestão nesta campanha e, com isso, crescido alguns pontos. Ao transformar a irmã, Ana Maria Maia, de subsecretária a secretária Especial de Eventos, Maia acendeu o estopim. O cargo, considerado político, é a exceção admitida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em sua iniciativa para coibir o nepotismo. A manobra recebeu uma saraivada de críticas de todos os lados.

Acho um horror, uma distorção esbravejou a candidata do PCdoB, Jandira Feghali. Essa atitude de burlar a lei, dar um jeitinho, desqualifica o papel do gestor.

O candidato do PT, Alessandro Molon (PT) foi mais um a criticar a atitude do prefeito. Considero uma agressão à população. Na Assembléia Legislativa, empreendi uma longa luta para proibir o nepotismo. É uma reação contrária ao que o Rio espera de um prefeito.

Outro que falou sobre o episódio foi Chico Alencar (PSOL), que foi além. Sem poder praticar o nepotismo cruzado com o Poder Legislativo, Cesar Maia fez o vertical. A criação dessa secretaria soa como uma manobra meramente empreguista. É estranho que os eventos dessa prefeitura sejam agora considerados importantes a ponto de ganhar status de secretaria.

Paulo Ramos (PDT), disse que já esperava algo assim no apagar das luzes da atual gestão municipal.

Final de governo é que nem final de festa, um salve-se quem puder. Só a população pode julgar, mas tem tanta imoralidade que acho difícil acontecer algo com a candidata do prefeito. Se o povo não percebe as campanhas milionárias financiadas pelas máquinas, então isso não influenciará em nada...

Solange Amaral, candidata da situação e que vem subindo nas pesquisas destacando os pontos positivos da atual administração, evitou uma crítica direta ao prefeito: Tenho a minha maneira de trabalhar. O resto deve ser perguntado ao prefeito afirmou. O que eu posso dizer é que conheço o trabalho de eventos da secretária Ana Maria, que merece aplausos em festas como o carnaval e réveillon. Além disso, admiro a forma como vêm sendo atraídos eventos para a nossa cidade.

O candidato Eduardo Paes (PMDB) não quis comentar o episódio. Fernando Gabeira (PV) disse que estava estudando a súmula vinculante do STF, que dispõe sobre o nepotismo, para poder se pronunciar. Marcelo Crivella e sua assessoria não foram localizados.