Papa e premier iraquiano se encontram amanhã

Agência ANSA

VATICANO - A audiência desta sexta-feira entre o papa Bento XVI e o premier iraquiano, Nuri al Maliki, que acontecerá na residência de verão do Pontífice em Castelgandolfo, é valorizada tanto pelo Vaticano quanto pelo governo do Iraque.

Ratzinger, de volta após uma intensa viagem à Austrália, irá interromper o seu repouso programado para esta semana para receber o premier iraquiano em um primeiro e histórico encontro.

- O encontro entre al-Maliki e o papa deveria ter acontecido já há algum tempo - disse o embaixador iraquiano para o Vaticano, Albert Edward Ismail Yelda.

- O encontro não aconteceu antes devido a problemas de saúde de al-Maliki; agora, também sabemos bem quanto o papa está cansado e precisaria descansar depois das últimas viagens. Mas não hesitamos em propor a ele (o encontro) e chegou imediatamente da secretaria de Estado uma resposta afirmativa - dafirmou.

Al-Maliki deixará Bento XVI a par das medidas adotadas pelo governo do Iraque para melhorar a segurança e os serviços públicos para a população e dos esforços federais para reconciliar o país e proclamar 2008 como 'o ano da reconstrução do Iraque', antecipou o diplomata.

- Já o pontífice irá manifestar as suas preocupações com o Iraque, que não se limitam apenas à minoria cristã, que com certeza está no coração do papa, mas a todo o povo iraquiano, como ele já destacou várias vezes - continuou Yelda, que revelou que o primeiro-ministro iraquiano irá fazer um convite ao papa para visitar o país.