Diretor de voluntários defende Olimpíada no Rio em 2016

Portal Terra

PEQUIM - A candidatura do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016 conta com um torcedor de peso. O diretor do Departamento de Voluntários do Comitê de Organização dos Jogos Olímpicos de Pequim, Liu Jian, defendeu o País como o melhor lugar para receber o evento depois de Londres (em 2012).

- Vamos nos ver lá. Um brinde ao Brasil, disse, ao levantar um cálice de baijiu (aguardente feita de arroz), durante um almoço com um pequeno grupo de jornalistas.

O Brasil candidatou o Rio de Janeiro como sede dos jogos de 2016. A cidade vai disputar com Madri (Espanha), Chicago (EUA) e Tóquio (Japão). O Comitê Olímpico Internacional (COI) deve anunciar a escolha em outubro do ano que vem.

Jian, que foi o País em 2007 e lembra como um dos pontos altos de sua viagem a refeição em uma churrascaria, escolheu um restaurante típico da culinária de Pequim para conversar sobre o sistema de seleção, treinamento e trabalho dos voluntários.

O entusiasmo do diretor, tanto com a sua equipe de 1 milhão de pessoas quanto com as iguarias - as quais fazia questão de servir nos pratos dos vizinhos de mesa - resume o objetivo do Comitê Organizador, segundo Jian: realizar os Jogos da melhor forma possível e mostrar a China ao resto do mundo.

- A China tem coisas maravilhosas para vocês conhecerem. Por exemplo, essa bebida, disse, levantando a tigela com uma espécie de sopa cinza esverdeada.

- Faz bem à saúde e deixa bonito. Aquela beleza que está dentro das pessoas vem para fora, brincou o anfitrião.

Para Jian, o bom-humor é mais que mera simpatia com convidados, mas um método de trabalho.

- Recebemos os jogos com alegria. Para ser voluntário é preciso sorrir, isso é a imagem de Pequim, disse.

Segundo ele, a multidão que vai trabalhar na Olimpíada (a maioria estudantes de férias ou profissionais com um turno livre) tem diversas funções: prestar serviços diretos a todos os envolvidos nas competições, de atletas à imprensa; fornecer informações e auxiliar em situações de emergência em pontos espalhados pela cidade (serão 2,94 mil pontos) e perto dos locais de competição; e trabalhar junto à comunidade local para "contagiá-la" com o espírito voluntário e conquistá-la a contribuir com os Jogos.

O envolvimento com a causa olímpica, segundo Jian, começa com gestos pequenos e significativos. O mais velho voluntário, Sun Fangchui, 87 anos, é um engenheiro de um tradicional instituto de engenharia e arquitetura da cidade e vai atuar durante as competições no Estádio Nacional.

Conforme o vice-diretor do departamento, Zhang Juming, há ainda mais 7,6 mil nas outras seis cidades onde há competições (Qingdao, Hong Kong, Tianjin, Xangai, Shenyang e Qinhuangdao).

Jian presenteou cada convidado com cinco pulseiras plásticas coloridas que os voluntários irão usar e dar a turistas e participantes que colaborarem com o "espírito olímpico".

- Até o final dos jogos, as pessoas mais importantes terão pulseiras dos pulsos até os cotovelos. É sinal de status. Ser voluntário dá status, concluiu o diretor.

Os Jogos de Pequim serão realizados de 8 a 24 de agosto.