Agnelli diz que construirá siderúrgica no Pará

RIO, 3 de junho de 2008 - O presidente da Vale, Roger Agnelli, disse nesta terça-feira, após palestra no Encontro Nacional de Siderurgia, que a mineradora pode construir a nova siderúrgica do Pará mesmo sem parceiros. Segundo Agnelli, o custo do investimento ainda não está definido.

"O projeto vai em frente com ou sem parceiros. Precisamos ter um projeto concreto, que tenha viabilidade econômica e equacione questões de logística. Aí vamos parar para ver qual é o melhor parceiro", disse o presidente da empresa que conta com o apoio de parceiros como a Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), no Rio.

O presidente da Vale pediu que o Governo acelere a construção da eclusa de Tucuruí e da do Porto de Espadarte. De acordo com Agnelli, a Vale não pretende ter a siderurgia como foco, mas participa desse projeto por acreditar no potencial do setor no país. "A Vale não quer ser uma siderúrgica. Estamos no projeto porque o melhor lugar do mundo, hoje, para se produzir aço, é no Brasil. O minério de ferro mais barato está aqui, além de uma boa logística", destacou.

Agnelli criticou a busca de siderúrgicas por ativos na área de mineração. "Se as siderúrgicas brasileiras não se reposicionarem estrategicamente vão perder espaço. Acredito que estão alocando capital de maneira errada e ineficiente", ponderou.

(Débora Motta - JB Online)