FIA confirma ausência de Mosley no Bahrein após escândalo

Agência AFP

BERLIM - O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Max Mosley, envolvido em um possível escândalo sexual, cancelou sua viagem ao Grande Prêmio de Fórmula 1 do Bahrein no fim de semana, no circuito de Sakhir, anunciou a FIA.

Mais cedo, as empresas BMW, Mercedes, Toyota e Honda divulgaram comunicados nos quais pedem explicações à FIA, ao que Max Mosley, 67 anos, reagiu.

- Pela história de BMW e de Mercedes-Benz, em especial antes e durante a Segunda Guerra Mundial, compreendo totalmente que desejem se livrar fortemente do que descrevem, de modo justo, como conteúdo vergonhoso destas publicações - afirma Mosley em um comunicado.

- Infelizmente, não me contactaram antes de publicar seu comunicado para me perguntar se o conteúdo era exato - lamentou Mosley, que não negou a participação no ato, mas negou qualquer caráter nazista.

- Sem nenhuma dúvida, a FIA vai responder, como eu estou a ponto de responder aos jornais que tornaram público este assunto - concluiu.

Mosley não vai sistematicamente a todos os Grandes Prêmios e apenas assiste às corridas em circunstâncias particulares. Ele compareceria ao Bahrein este fim de semana por causa da reunião do Instituto FIA, que acontece nesta quinta-feira.