TJD: Três jogadores do Flamengo são condenados; Obina pega dois jogos

Bruno Pontes, JB Online

RIO - O julgamento dos quatro jogadores do Flamengo envolvidos em confusões durante a partida contra o Botafogo, em partida válida pelo primeiro turno do Campeonato Estadual terminou razoável para o time da Gávea.

Bruno foi o único jogador a receber total absolvição das acusações por envolvimento nas brigas ocorridas na final da Taça Guanabara, enquanto Obina foi suspenso por duas partidas e os meias Toró e Jônatas por um jogo cada.

Os meias Toró, o goleiro Bruno e o atacante Obina se apresentaram com mais de uma hora de atraso ao prédio do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) e foram denunciados através das imagens da televisão.

O único jogador a prestar depoimento foi o atacante Obina, que foi julgado por dois lances do jogo.

Um que deu um soco no goleiro alvinegro Castillo, e noutro em que aos 45 minutos do segundo tempo deu um carrinho violento por trás de um jogador do Botafogo, o que resultou em sua expulsão direta. Ambos acontecimentos estão gravados em imagens de tv.

Em sua defesa Obina alegou que não acertou um soco no goleiro e sim tentou disputar a bola e dar seqüência à jogada, enquanto na jogada que resultou em sua expulsão, tentou apenas tocar na bola.

Não é a primeira vez que Obina é denunciado no artigo 253. No ano passado, o atacante foi suspenso por 120 dias, pela Segunda Comissão Disciplinar do STJD, no dia 18 de setembro.

Um mês depois, no julgamento do seu recurso, ele teve a pena reduzida para cinco partidas, pelo Pleno do STJD, em razão da desclassificação para o artigo 258.

Já Jônatas foi a julgamento por suas atitudes inadequadas durante a partida contra o alvinegro.

O primeiro cartão amarelo foi por conta de atitude imprópria do jogador, provocando o adversário durante o princípio de tumulto após marcação de falta a favor do Botafogo, próximo à bandeira de escanteio. Jônatas após a advertência insistiu nas reclamações.

O meia rubro-negro foi o único dos quatro jogadores do Flamengo envolvidos, que não compareceu no prédio da Federação na noite desta quarta-feira.

Já Bruno, goleiro do Flamengo, foi denunciado no artigo 253 por tentativa de agredir o zagueiro André Luis, do Botafogo, com um soco, após a confusão da expulsão de Jônatas.

A pena por estar combinado com o artigo 157 seria a metade da pena mínima, ou seja, 60 dias de suspensão.

Já o meia Toró foi denunciado por ter aproveitado que o goleiro Castillo estava encoberto por atletas das duas equipes e deu um bico na cabeça do uruguaio. A pena também pode ser de 120 a 540 dias de suspensão e também está enquadrada no artigo 253.

Ao final do julgamento, foi decidido que por unanimidade de votos, Jônatas está absolvido quanto a imputação ao artigo 251 do CBJD e desclassificar a infração ao artigo 253 para o 255, pegando suspensão por uma partida.

Também por unanimidade de votos, Obina está suspenso por duas partidas por infração ao artigo 254 e absolvido quanto a imputação ao artigo 253 .

Em relação a Toró, foi desclassificado a infração para o artigo 255, e o meia está suspenso por uma partida.

Em relação ao goleiro Bruno, por unanimidade de votos, o atleta está absolvido quanto a imputação ao artigo 253.

Durante a votação dos relatores, o auditor Dr. Jonei Garcia citou a declaração do goleiro Bruno, dias atrás em que o atleta afirmou que não compareceria ao julgamento, pois não é um bandido para ser julgado , e rebateu a polêmica afirmando que o TJD julga apenas atletas do futebol e não bandidos .