Diretor da McLaren destaca boa relação entre Hamilton e Kovalainen

Agência EFE

BERLIM - Martin Whitmarsh, diretor esportivo da McLaren, destacou nesta terça-feira a 'fantástica' relação entre o inglês Lewis Hamilton e o finlandês Heikki Kovalainen, que formam a dupla da escuderia para esta temporada.

- Embora tenhamos andado abaixo de nossas expectativas na Malásia, estou muito feliz pela forma como estamos trabalhando. Lewis e Heikki se entendem fantasticamente bem e não me lembro de ter visto uma troca de informação tão sincera entre pilotos nos meus 19 anos de equipe - afirmou o dirigente em declarações ao site da McLaren.

No início deste ano, o espanhol Fernando Alonso deixou a equipe antes do término de seu contrato por conta da má relação com Hamilton, com quem trocou farpas por toda a temporada.

Ele acabou voltando para a Renault, escuderia pela qual obteve o bicampeonato do Mundial de Pilotos em 2005 e 2006.

Whitmarsh explicou que grande parte dos problemas de Hamilton na Malásia foram causados pelas constantes mudanças no tempo.

- As pessoas nem sempre percebem como as condições ambientais influenciam o comportamento do carro. Elas jogam a seu favor algumas vezes e outras não, e foi isto que ocorreu com Lewis - disse.

Com relação a Kovalainen, o diretor esportivo afirmou que a equipe fez 'um trabalho terrível' na Malásia para deixar o carro da melhor forma possível.

O finlandês chegou a ser mais rápido que Hamilton no treino de classificação, apesar de ter combustível.

- Apesar da penalização de cinco postos na grid de largada, Heikki fez um grande trabalho durante a corrida e acabou em terceiro, e acho que ele poderia até ficar em segundo - disse.

Whitmarsh revelou que Hamilton perdeu tempo em uma de suas paradas nos boxes em razão de uma falha no mecanismo de fechamento de uma roda que nunca tinha ocorrido antes.

- Isso lhe custou dez segundos na parada e a perda de uma posição vital na pista, já que ele teve de permanecer muito tempo atrás do australiano Mark Webber, da Red Bull. Ultrapassar é notoriamente difícil em Sepang. Sem esse problema, ele teria ficado no pódio - assegurou.

Ao falar sobre o Grande Prêmio do Barein, próxima etapa do Mundial da F-1, Whitmarsh prometeu pequenos avanços no carro para a prova, em 6 de abril.

- Temos de assegurar que iremos melhor. Somos líderes nos dois campeonatos (pilotos e construtores), o que não é nada mal para um início de temporada, mas temos de melhorar nosso rendimento e depois continuar assim na Europa - comentou o dirigente.