Monges tibetanos iniciam greve de fome no Nepal

Agência EFE

KATMANDU - Um grupo de cem monges tibetanos exilados no Nepal, entre eles mulheres e crianças, iniciou neste sábado uma greve de fome em solidariedade para com as pessoas que morreram na sexta-feira durante os distúrbios de Lhasa, informou um ativista pró-Tibete.

- A greve de fome foi espontânea e pretende expressar nossa solidariedade para com os protestos em Lhasa e contra as mortes registradas - disse o presidente da Juventude Tibetana do Nepal e voluntário do movimento Tibete Livre, Thupten Tenzing.

Ele acrescentou que, por enquanto, não se sabe durante quanto tempo permanecerão em greve de fome.

As forças de segurança nepalesas detiveram doze tibetanos em frente ao escritório da ONU na capital do país por obstruir o tráfego, disse um porta-voz policial, que acrescentou que eles poderiam ser libertados ainda neste sábado.

Esta noite, a comunidade de tibetanos exilados em Katmandu deve acender velas na cidade em sinal de protesto pela morte de pelo menos dez pessoas nos distúrbios que ocorreram ontem na capital tibetana.