Vale atende a governo para negociar Xstrata

RIO, 7 de fevereiro de 2008 - A Vale atendeu às condições do governo para negociar a compra da mineradora Xstrata, revelou o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho. As transações que envolvem a empresa anglo-suíça prevêem a manutenção do controle acionário da Vale e pesados investimentos no Brasil, principais aflições do presidente Lula e da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Coutinho expôs pessoalmente a Roger Agnelli, presidente da companhia brasileira, as premissas do Planalto para dar sinal verde à transação. "A preocupação do governo é assegurar controle perene da CVRD no Brasil e assegurar investimentos no País. Pelas características preliminares que nós vimos, é possível compatibilizar o interesse do governo com o desenho da operação de compra da Xstrata pela Vale", afirmou, ao ser indagado sobre as conversas até então sigilosas entre os acionistas da maior produtora de ferro do mundo.

Por meio da Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil (BB) e do BNDES, o governo pode influenciar decisões estratégicas da mineradora, que possui concessão governamental para explorar o subsolo da União. As duas instituições possuem mais de 60% da Valepar, controladora da Vale. O temor do presidente Lula é a transferência do controle da Vale para o exterior diante da necessidade de capitalização para a compra da Xstrata, avaliada em mais de US$ 90 bilhões. Na semana passada, o Bradesco, outro acionista da Valepar, informara que o governo havia dado aval para a continuidade das negociações, mas nem a Previ nem o BNDES haviam confirmado as informações.

"As condições foram comunicadas e atendidas", disse Coutinho.

(Sabrina Lorenzi - GZM)