Mocidade aposta no luxo e samba no pé para pontuar no Carnaval

Angélica Paulo, JB Online

RIO - Depois de amargar um 11º lugar no carnaval de 2007, a Mocidade Independente de Padre Miguel resolveu apostar na história do Brasil para superar os problemas e voltar a figurar entre as campeãs do carnaval carioca.

Com o enredo O Quinto Império do Brasil: uma utopia da história do carnavalesco Cid Carvalho, ex-Vila Isabel, a verde e branco vai mostrar na avenida a utopia de transformar Portugal em Quinto Império, desde os tempos de D. Afonso Henriques, pelos idos de 1139, até a transferência da Corte Portuguesa para o Brasil, em 1808.

- Eu já tinha tudo na cabeça, já tinha feito várias pesquisas, antes de saber que o enredo seria levado para a avenida neste ano, justamente quando a chegada de D. João VI ao Brasil completa 200 anos afirma Cid.

Mas mostrar uma parte tão importante da história da formação da identidade brasileira demandou grande trabalho de pesquisa, incluindo uma viagem de Cid Carvalho a Portugal, na metade de 2007.

- Mesmo antes da viagem a Portugal, todo o enredo já estava praticamente pronto. Mas uma coisa é imaginar, outra é tocar, ver, sentir o enredo ali, no lugar onde ele nasceu explicou Cid, acrescentando que a escola, conhecida pelas inovações no carnaval, desta vez vai apostar no luxo e no tradicionalismo para superar os resultados negativos dos últimos quatro anos, quando não marcou pontos.

- Não teremos nenhuma grande surpresa neste ano. Até pelo tema, isto não é cabível. Mas posso garantir que a escola vem muito guerreira, com samba no pé e apostando na comunidade de Padre Miguel.

O enredo será dividido em duas partes. Na primeira, será mostrada a utopia do Quinto Império ainda em Portugal. A abertura, segundo o carnavalesco, será a parte luxuosa do desfile, com muitos brocados, veludos e pedrarias. A segunda parte, já retratando o Brasil, será mais tropical, alegre e colorida.

A escola virá com 4300 integrantes, sendo a grande maioria da comunidade, o que, segundo o diretor de carnaval, José Luiz Azevedo, é um número razoável para que a harmonia do desfile seja mantida.

- Mais do que isso poderia comprometer o andamento do desfile. Mas sempre fazemos questão de ressaltar que a grande maioria das alas é de integrantes da comunidade. Das 2100 fantasias confeccionadas, 1320 são para os moradores explica.

Uma das grandes apostas da Mocidade para este ano é o samba-enredo que, segundo Azevedo, foi muito bem aceito pelos integrantes. Composto por Marquinho Marino, Gustavo Henrique e Igor Leal e interpretado por Bruno Ribas, tem sido bem executado nas rádios e auxiliado, também, pela boa vendagem do cd com os sambas do carnaval de 2008.

- Este samba é um achado. Nos ensaios, a comunidade se identificou demais com ele e temos certeza de que o resultado será gratificante finaliza Azevedo.