Mangueira tenta deixar crise de lado, homenageando centenário do frevo

Angélica Paulo, JB Online

RIO - Acostumada a figurar nas primeiras páginas dos principais jornais cariocas no período que antecede o carnaval, uma das mais tradicionais escolas de samba do Rio de Janeiro, a Estação Primeira de Mangueira tem visto seu nome atrelado a notícias que pouco têm a ver com a folia de Momo. Em meio a denúncias de que a escola teria ligações diretas com o tráfico de drogas, a verde-e-rosa se vê em meio à pior crise de sua longa história.

Às vésperas de completar 80 anos (a escola foi fundada no dia 28 de abril de 1928), o mais recente escândalo a manchar o nome da Mangueira foi a descoberta de uma casa embaixo do camarote da bateria e que dá acesso ao morro seria utilizado por Francisco Testas Monteiro, o Tuchinha, para a comercialização de drogas. Tuchinha, que é um dos compositores do samba que a escola defenderá neste ano, assinando como Francisco do Pagode, cumpriu pena de 17 anos em regime fechado por tráfico de drogas. Além disso, o presidente da bateria, Ivo Meirelles, acusado de facilitar o acesso de traficantes à quadra da agremiação, pediu desligamento da escola na última quinta-feira.

A escola tenta não se deixar abater e, a menos de um mês para o carnaval, segue a todo o vapor com os preparativos finais para levar o enredo 100 anos de frevo, é de perder o sapato. Recife mandou me chamar com força total para a Marquês de Sapucaí.

- É lógico que todos ficamos muito tristes com tudo isso. É a pior crise que a Mangueira já viveu em toda a sua história, mas vamos superar confessa a presidente da agremiação, Ely Gonçalves, a Chininha.

Quinta a desfilar no domingo de carnaval, a escola, que conquistou Para contar a história de um dos ritmos mais famosos do Brasil, a Estação Primeira aposta no tradicionalismo, marca do carnavalesco Max Lopes, que não faz segredos do que pretende levar para a avenida.

- Gosto do carnaval bonito, tradicional. Não sou adepto de produções spielberguianas . Acho que o espetáculo se faz com samba no pé e essa é minha maneira de trabalhar, no que sou apoiado pela escola diz, referindo-se ao mago dos efeitos especiais, o cineasta norte-americano Steven Spielberg.

Unir duas culturas tão tradicionais e, aparentemente, tão diferentes como frevo e carnaval, para Max, não foi o maior dos desafios. Muito pelo contrário. Segundo o carnavalesco, as duas manifestações têm mais em comum do que se poderia supor.

- O carnaval de Recife, hoje, possivelmente é uma das maiores manifestações populares do país, enquanto a escola de samba virou um grande espetáculo de uma festa que, no momento, nem sei mais se é tão popular. O frevo nada mais é do que uma dança onde se mexe com as pernas e os pés, muito mais com os pés, quase como o samba enumera.

Conhecido como mago das cores , Max, que é famoso por utilizar elementos barrocos em seus desfiles, além de temáticas que exaltem a diversidade cultural brasileira, promete um desfile colorido, utilizando outras cores além do tradicional verde-e-rosa da escola, para representar uma festa que, segundo ele, tem no colorido e na alegria suas principais características.

- Eu sempre gostei muito de trazer enredos que falem extremamente do Brasil, de coisas nossas, que são tão fortes, tão latentes, acho que é isso que o mundo tem que conhecer. A gente pode procurar alguns ganchos para algumas coisas, mas eu acho que no Brasil, com essa forma toda, o mais importante é a gente vender o que é nosso.

Corte do Maracatu

Max explica que a Mangueira vai falar exclusivamente do frevo e da cultura, deixando de lado a história de Pernambuco, como questões históricas e tantos outros acontecimentos.

-O enfoque do tema será as manifestações carnavalescas de Pernambuco que, junto a Mangueira, que é símbolo da maior manifestação popular do Rio, homenageia o frevo. Para isso, teremos os arautos, que anunciam todo o Carnaval, tem a fanfarra, que é tradição do frevo, tem os bonecos de Olinda, além uma corte do maracatu que vem de Pernambuco com a Lia de Itamaracá, que é a maior rainha finaliza.