Luxo, grandiosidade e samba no pé para voltar a vencer

Marcello Victor, JB Online

RIO - Com um carnaval orçado em cerca de R$ 5,5 milhões, a Portela é verdadeiramente esperança e otimismo para o desfile de 2008. Desde 1995 sem participar do desfile das campeãs, a grandiosidade dos carros alegóricos da azul-e-branco e uma maior integração com a comunidade de Madureira são das apostas da agremiação para alçar vôos mais altos. A escultura da águia, símbolo da escola, será a maior delas já levada para a avenida em toda a sua história. No total, a alegoria terá 50 metros quadrados e vários efeitos especiais.

Para defender o enredo Reconstruindo a Natureza, recriando a vida: o sonho vira realidade, a Portela aumentou o número de alas da comunidade. Pouco mais de 50% dos componentes será vestida pela escola. Mesmo sem patrocínio e com apenas algumas colaborações, a expectativa é de que, no máximo, há uma semana do desfile todo o trabalho esteja encerrado. No barracão, na direção e na comunidade, o otimismo é grande com a boa expectativa de voltar figurar entres as seis primeiras colocadas do desfile das escolas de samba e voltar à à Marquês de Sapucaí no sábado.

- Não sei se vai ser o maior carnaval da Portela nos últimos tempos, mas eu posso te garantir que a Portela vai realmente brigar pelo título do carnaval 2008 - decretou o carnavalesco Cahê Rodrigues, de 30 anos.

Segundo o carnavalesco, que este ano comanda sozinho a criação de arte da escola de Madureira, o enredo é de fácil compreensão e será apresentado por 4.500 componentes, 39 alas, sete alegorias e oito tripés. O objetivo é mostrar a importância da natureza, desde o surgimento da água, mergulhando nos oceanos e passando pelas maravilhas da Terra, especialmente do Brasil, com a Mata Atlântica, o Pantanal e a Amazônia; e do Rio de Janeiro, como o Jardim Botânico e a Floresta da Tijuca.

As fontes de energia naturais renováveis, como a eólica e a solar, até o biodiesel, passarão pela avenida. No enredo, a conscientização e união dos povos é considerada fundamental para tornar realidade o sonho de reconstrução da natureza. O último carro da Portela representará uma grande calota de gelo polar, onde virá toda a fauna e flora intacta, perfeita, além da Velha Guarda da escola, comandada por Monarco e Tia Surica. A escultura faz referência ao aquecimento globa,l mas remete a esperança da escola de que é possível recriar e harmonizar homem e natureza.

- A Portela não fala de desgraça, de poluição, de destruição. A Portela vai cantar a vida, vai cantar o amor. A gente termina o carnaval pra cima, mostrando tudo isso que já está sendo destruído pelo homem, recuperado, em perfeita harmonia, vivendo em comunhão com a natureza. Essa é a grande mensagem da Portela - explicou Cahê Rodrigues.