Escolinha dá aulas de percussão para quem quer fazer bonito na avenida

Júlia Moura, JB Online

RIO - Fundada há seis anos, a escolinha Tamborim Sensação, carinhosamente chamada pelos alunos de TS, oferece aulas para quem sonha em fazer parte da bateria de uma escola de samba do Rio. Mesmo quem nunca tocou nenhum instrumento pode participar das aulas, que são ministradas aos sábados, em Engenho de Dentro.

O professor Ricardo Pereira, o Ricardinho, atual mestre de Bateria do GRES Arranco, garante que é possível realizar o sonho de quem deseja tocar em uma bateria de escola de samba com alguns meses de treinamento.

-Costumo dizer que tocar um instrumento não é só treino, está na alma. Quem sempre desejou tocar um tamborim, por exemplo, pode chegar aqui e nos surpreender por que já nasceu com esse dom diz Ricardo.

Há um ano treinando o administrador de empresas, Ricardo Santana, 44 anos vai desfilar na bateria de oito escolas de samba do grupo especial. Impulsionado por um amigo Santana, que começou tocando tamborim, arrepia na cuíca.

-Sempre via os desfiles e ensaios de bateria com uma vontade enorme de estar ali, tocando com eles. Mas como? Não tocava nada. Então um amigo me levou em uma aula da escolinha comecei e não parei fala Santana.

-Hoje depois de um ano de ensaio, só não vou desfilar em mais de oito escolas porque não tenho condições físicas para isto. Estou correndo das outras brinca.

Santana conta que fazer parte de uma bateria de escola de Samba não é fácil. Segundo ele quem entra não quer sair, com isso não há lugares vagos. Mas nem por isso o ritmista desistiu.

- Um amigo que conhecia o mestre de bateria de uma escola de samba do grupo especial pediu para eu mostrar o meu som, como se fosse um teste, mas não aceitaram. Insistimos para que, pelo menos, pudesse brincar tocando junto com eles, já que a minha intenção era aprender, e foi assim que me aceitaram.

Já Pedro Henrique, 14 anos, toca um dos instrumentos mais difíceis de uma bateria. Segundo Ricardo, seu professor, em dois anos de treino o menino de jeito malandro já se destaca pelo seu desempenho. O repique tem a função de dar voz de comando para os outros instrumentos, por isso sua importância.

-Ainda tenho muito que aprender, mas em dois anos já consegui fazer algumas paradinhas. Me inspiro em Ricardinho para melhorar. Este ano vou acompanha-lo no Arranco e em mais três escolas do grupo B conta Pedro, que não falta a uma aula da escolinha.

As aulas são ministradas todo o sábado sob supervisão de Ricardinho, que começou aos 17 anos e já foi diretor de tamborins da Unidos da Tijuca de 2000 à 2005, e Sinesio atual Diretor de Bateria do Arranco. São mais de 100 alunos entre as turmas de caixas de guerra, repique, chocalhos e tamborim. As novas turmas serão iniciadas em março.

O projeto que começou com aluas gratuitas para uma, duas ou três pessoas ganha hoje o reconhecimento e apoio de vários mestres de bateria do Rio de Janeiro. Para mais informações sobre a escolinha Tamborim Sensação acesse o site (www.tamborimsensacao.com.br).