Carnaval deve movimentar R$ 2 bi e criar 325 mil empregos

Portal Terra

RIO - As comemorações do Carnaval, no primeiro final de semana de fevereiro, prometem aquecer a economia das principais capitais do Brasil. A expectativa é de que, somente em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, a maior festa popular do País movimente R$ 2,04 bilhões no período festivo e gere cerca de 325 mil postos de trabalho diretos e indiretos.

O setor hoteleiro é o que mais cresce nesta época do ano. De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), em cidades como Salvador e Rio de Janeiro, a média de ocupação nos hotéis atinge a marca dos 95%.

- Em 2007, fomos prejudicados no faturamento devido aos caos aéreo durante o Carnaval. Neste ano, devemos ter alta de 15% nos lucros sobre o ano passado - afirma Hernani Silveira, presidente regional de Salvador da ABIH.

Na capital baiana, a festa arrecada R$ 500 milhões para a cidade e abre 200 mil novas vagas de empregos, informa a Empresa Municipal de Turismo de Salvador (Emtursa).

No entanto, segundo especialistas do setor de Turismo das três capitais, além da indústria turística, o Carnaval cria oportunidades para diversos outros setores, incluindo os segmentos de comércio, indústria e serviços.

- Só na Grande Rio existem cerca de 200 escolas de samba funcionando como pequenas empresas, o que gera uma cadeia produtiva muito grande", afirma Sérgio Malta, diretor superintendente do Sebrae-RJ.

A entidade estima que o Carnaval na capital carioca movimente cerca de R$ 1,5 bilhão, com uma oferta de 100 mil postos de trabalho - 60% deles, permanentes. De acordo com a Riotur, órgão do governo responsável pelo turismo do município, são esperados 705 mil turistas na cidade.

- Esperamos que, em fevereiro, o faturamento das micro e pequenas empresas do Rio seja 11% maior do que no mesmo período do ano passado. Já o número de postos de trabalho deve crescer 3% - prevê Malta.

Para a São Paulo Turismo (SPTuris), empresa que faz a promoção turística da capital paulista, o Carnaval deve gerar R$ 40 milhões para a cidade, alta de 33% em relação a 2007. No período, serão gerados 25 mil empregos diretos e indiretos.

- Ao contrário de Rio de Janeiro e Salvador, em São Paulo, o Carnaval não movimenta o varejo. Esta festividade não é uma data comercial para os paulistas. Mesmo assim, a cada ano que passa, o turismo aumenta na capital nesse período, e isso influencia na economia da cidade em geral - afirma Emílio Alfieri, economista da Associação Comercial de São Paulo.