Lixo eletrônico é problema para reciclagem

Com a época de feriados chegando, a procura por celulares, televisores de plasma e video-games aumenta. Isso resulta em um amontoado de eletrônicos velhos jogados no lixo. Esse aparelhos carregados de cádmio, mercúrio, chumbo e outras toxinas acabam por contaminar o meio ambiente. A indústria de eletrônicos gera cerca de US$ 2 bilhões em vendas nos Estados Unidos anualmente, informou a Agência de Proteção Ambiental (EPA sigla em inglês).

Dois anos atrás, os EUA gerou 2,6 milhões de toneladas de lixo eletrônico. Apenas 12,6% desse lixo foi reciclado. Segundo o EPA, a quantidade de lixo eletrônico está cresce mais que qualquer outro tipo de lixo.

A EPA admite que as toxinas dos eletrônicos são um problema, mas que ainda não há necessidade de pânico. Apesar de não ser a melhor alternativa, os aterros sanitários podem suportar seguramente esse tipo de lixo. A melhor solução seria o aumento da reciclagem. Entretanto, menos de 20% dos aparelhos eletrônicos foram encaminhados para reciclagem entre 2003 e 2005; a maioria terminou em aterros. Segundo a EPA, não há registros de contaminação de solo e rios por substâncias tóxicas provenientes de aterros sanitários.