Cristina Kirchner é eleita com 43,68% dos votos

Com 77,40% das urnas apuradas às 4h local (5h em Brasília), Cristina Fernández de Kirchner foi eleita hoje a primeira mulher presidente na história da Argentina. A candidata governista obteve 43,68% dos votos apurados, confirmando as pesquisas de boca-de-urna que indicavam a vitória da esposa de Néstor Kirchner já no primeiro turno.

Lidar com o poder e o governo não é algo novo para Cristina Kirchner. Durante os quatro anos da gestão do marido, ela foi a mulher mais poderosa da Argentina, por seu duplo papel de senadora e primeira-dama. Quando assumir o governo em 10 de dezembro de 2007, a nova presidente da Argentina terá como desafio a melhora no controle da inflação e dos gastos públicos, distribuição de renda, combate ao desemprego e garantia suficiente de energia, além de atrair novos investimentos estrangeiros para manter o forte ciclo de crescimento no país sul-americano.

Advogada, 54 anos, Cristina é parlamentar desde 1989. Chegou à cena política muito antes do marido, ao protagonizar intensos debates no Congresso, onde mais de uma vez dominou seus adversários valendo-se de seus dotes de oradora e de sua bagagem intelectual. Cristina chega à Presidência quase em silêncio - apenas falou em comícios e em pouquíssimas entrevistas -, em uma campanha minuciosamente planejada.

A nova presidente não só deve preservar a política econômica e social do marido, como também já antecipou que manterá estreita relação com os presidentes do Brasil e da Venezuela, Hugo Chávez, com quem trocou elogios durante a campanha.