Partido de Chávez nasce com quase 5 milhões

As incrições ao novo partido do presidente Hugo Chávez terminam neste domingo, com quase 5 milhões de "aspirantes": o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) substituirá todas as organizações chavistas.

O objetivo é "que todos os revolucionários se unifiquem num só partido, com metas claras e que participem dele os melhores homens e mulheres da Venezuela", destacou neste domingo Ali Rodríguez, fundador do Partido Pátria para Todos (PPT-operário) e atualmente embaixador da Venezuela em Cuba.

O processo de inscrição ao PSUV começou no dia 29 de abril finalizando neste domingo.

Chávez destacou que o PSUV será a vanguarda unida de todos os partidários da revolução, atualmente apoiada por mais de 20 movimentos e partidos.

"Permitam-me insistir do fundo de minha alma neste processo unitário do partido, de todo o povo, da classe operária, dos camponeses, da unidade nacional, da unidade da Força Armada bolivariana, da unidade do povo bolivariano", destacou Chávez neste sábado durante concentração em Caracas.

Em La Vega, um bairro popular do oeste de Caracas composto por casinhas de tijolos e de madeira, 20 pessoas aguardavam pacientemente na tarde de domingo a vez de se inscrever.

"Vim para dar um apoio ao partido que Chávez quer formar (..) Será um partido social, um partido que não busque apenas interesses políticos e que queira e possa resolver os problemas das comunidades", destacou à AFP Margarita Gómez, de 39 anos, que trabalha como promotora de saúde num dos módulos da Missão Bairro Adentro em La Vega.

Chávez destacou que para pertencer ao PSUV é preciso contar com valores morais e socialistas.

"Se algum rico aspirar a ser militante do Partido Socialista Unido será bem-vindo, mas deve começar por destinar sua riqueza à luta contra a pobreza. Não vou pedir que vá para a rua ou passe a viver num casebre. Mas essa riqueza material de que dispõe deve se somar a forças na luta contra a pobreza", destacou Chávez.

O processo de formação do partido prosseguirá no dia 29 de julho, quando serão eleitos os porta-vozes e delegados para o Congreso de fundação que começará no dia 15 de agosto e vai durar três meses, até meados de novembro.

No dia 2 de dezembro suas decisões serão submetidas a uma consulta nacional e o congresso partidário designará uma direção transitória.

Em 2008, será realizada uma eleição nacional de dirigentes permanentes.

As informações são da AFP.