Crianças fora das ruas só no Pan

Frederico Zartore, Agência JB

RIO - O projeto Medalha de Ouro, lançado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), que prevê um investimento de R$ 2 milhões em atividades sócio-educativas, profissionalizantes ou de albergamento de crianças e adolescentes em situação de rua na cidade do Rio de Janeiro durante a realização dos Jogos Pan-americanos, não terá continuidade e será encerrado em novembro.

- Disseram que o governo municipal pode assumir as ações posteriormente. Mas a prefeitura já disse que não vai fazê-lo porque é uma ação isolada de um órgão federal, que inclusive contraria a política de descentralização da assistência social diz Carlos Nicodemos, advogado da ONG Projeto Legal.

O programa foi apresentado como uma iniciativa de prevenção à violência e melhora da qualidade de vida no Rio de Janeiro, mas o edital prevê financiamento apenas para programas desenvolvidos no circuito do Pan 2007, definido como locais próximos a aeroportos, rodoviárias, rede hoteleira, bares e restaurantes, estações de metrô, praias, pontos turísticos em geral, terminais de barcas e pontos de realização dos jogos.

- A proposta tem contornos de uma ação higienista momentânea realizada muito mais para preservar a imagem turística do Rio de Janeiro do que para proteger as crianças e adolescentes em situação de rua critica Carlos Nicodemos, advogado da ONG Projeto Legal.

A presença de meninos de rua em áreas que não fazem parte do circuito do Pan será ignorada pelo programa.