Judô masculino aposta em tradição e mulheres inovam para o Pan

REUTERS

SÃO PAULO - Medalhista nas últimas cinco Olimpíadas, o judô masculino do Brasil aposta em atletas já consagrados para os Jogos Pan-Americanos do Rio, enquanto o judô feminino, ainda sem ter o gosto de uma medalha olímpica, inovou na preparação e contará com uma equipe renovada para a competição de julho.

A preparação das judocas desta vez deixou de ser em conjunto com o time masculino na Europa e incluiu viagem a países latino-americanos para melhorar o condicionamento físico. No ano passado, elas estiveram em Cuba e em Cuenca, no Equador, onde fizeram treinamento na altitude.

- Todo o judô feminino evoluiu, principalmente pelo trabalho realizado no ano passado, com treinamento na altitude, visando a parte física, que era a dificuldade do feminino, disse à Reuters Priscila Marques, que compete na categoria pesado (mais de 78 quilos).

A equipe feminina conquistou bons resultados em 2007. No Pan da modalidade, realizado na Argentina, o país ficou em segundo lugar, atrás de Cuba, país de forte tradição no judô, e na etapa de Praga da Copa do Mundo, as judocas levaram medalha de ouro por equipe pela primeira vez.

A equipe de judô para o Pan será definida após a etapa de Belo Horizonte da Copa do Mundo, em 6 e 7 de maio. Dois atletas por categoria disputam a vaga de titular, após a realização de seletivas e treinamentos em vários países.

- Das sete categorias, podemos conseguir sete medalhas no Pan. O judô feminino tem crescido bastante, comentou Vânia Ishii, da categoria até 63 quilos. Medalhista de ouro no Pan de Winnipeg-1999 e prata em Santo Domingo-2003, Vânia disputa com Daniele Yuri uma vaga no Pan do Rio.

Daniele é uma das 'caras novas' do judô feminino, que incluem também jovens com bons resultados em competições júnior.

- As meninas mais novas vêm com mais gana e isso faz o grupo todo crescer, acrescentou Vânia.

No judô masculino estão na disputa atletas conhecidos como os medalhistas olímpicos Carlos Honorato, Flávio Canto e Leandro Guilheiro, e o campeão mundial João Derly.

- Apesar de ter caras conhecidas, a equipe é nova. A gente teve resultados precocemente, disse Guilheiro, de 23 anos, que conquistou o bronze nos Jogos de Atenas-2004.

Daniel Hernandes, medalhista de ouro no Pan de Santo Domingo-2003 e prata em Winnipeg-1999, disse que a experiência ajuda.

- Você conhece os atalhos para chegar nos objetivos...O pessoal que vem batalhando há um tempo está no auge da forma, tem bastante lenha para queimar, declarou o atleta da categoria pesado (mais de 100 quilos).

Ao contrário das mulheres, a preparação do judô masculino aconteceu principalmente na Europa, em países como França, Alemanha, Hungria e Polônia.