Karina Buhr faz duas apresentações do show 'Voz e Tambor' no Clube Manouche

A artista Karina Buhr se apresenta nesta sexta (27) e sábado (28) no Clube Manouche, a partir das 21h. No palco, apenas Karina, os tambores e o guitarrista Regis Damasceno. São duas congas, ilú, alfaia, pandeiro, xequerê, ganzá e outras percussões que dão o pulso para poesias recitadas de seu livro “Desperdiçando Rima” (editora Rocco/2015), intercaladas por músicas também autorais inéditas e algumas do repertório de seus discos solo com arranjos bem diferentes dos feitos com banda e mais próximos do que eram essas músicas quando foram criadas por Karina, só com percussão e voz.

Macaque in the trees
Karina Buhr leva ritmos nordestinos para o palco do Manouche (Foto: Duda Portella/Reprodução do Facebook)

Destaque para a música “Selvática”, que é feita só com um ilú e voz, versão que exalta ainda mais a letra e destaca a poesia falada como poder de comunicação no palco, rua, qualquer lugar em que haja uma pessoa atenta. Algumas músicas são acompanhadas de um pandeiro, como “Falta de Sorte”, “Vida Boa é do Atrasado”, e “Machado Branco e Vermelho”, que faz referência ao orixá Xangô, é cantada com acompanhamento só de um triângulo.

Entre uma música e outra, uma poesia e outra, o show tem uma dinâmica única, com mudanças nas formas musicais, às vezes bem secas, às vezes mais cheias e com um pulso forte, às vezes malemolente, como em “Amaralina”, música de Karina que integra o primeiro disco da banda Comadre Fulozinha, ou “Sorri pra Bahia”, de Luiz Melodia, que aqui ganha forma de ijexá e é tocada junto com “Pureza de Menino”, originalmente é um reggae, do pernambucano Marcelo Santana.

O show Voz e Tambor é um deleite de ritmos nordestinos tocados com a personalidade de Karina, seja na explosão de uma alfaia, que começou a tocar integrando o maracatu Estrela Brilhante do Recife, em 1995, ou na delicadeza e força do ijexá, ritmo que ela executou por anos em afoxés de Pernambuco, nas ladeiras de Olinda e ruas do Alto José do Pinho. Uma chance de conhecer ou rever um outro lado, o primeiro que veio à tona na sua carreira musical, bem diferente do lado rock and roll que costuma se destacar em seus shows com banda.

Em 1997 Karina formou a banda Comadre Fulozinha, com a qual lançou 3 discos, integrou trilhas sonoras, como do filme Deus é Brasileiro, fez várias turnês brasileiras e uma turnê mundial de 2 meses, entre França, Suíça, Suécia, Bélgica, Canadá e EUA.

Serviço: Evento: Karina Buhr no show “Voz e Tambor” / Local: Clube Manouche/Casa Camolese / Endereço: Rua Jardim Botânico, 983, Jardim Botânico, RJ / Data e horário: 27 e 28 de setembro, sexta e sábado, 21h / Ingressos: R$ 80 (inteira), R$ 60 (Ingresso solidário: com 1 kg de alimento não perecível) e R$ 40 (meia) / Classificação: 18 anos / Estacionamento no local (tarifado) / Tel:21 3514-8200.