Jornal do Brasil

CadernoB - Gente

Lázaro Ramos fala sobre novo livro e desmente participação em novela das nove

FolhaPress CAROLINE FEIJÓ

Lázaro Ramos, 40, está afastado das novelas desde 2014, quando participou de "Geração Brasil". Atualmente, o ator e escritor se dedica a duas outras paixões: o cinema e a literatura. 

Em entrevista ao F5, Ramos contou sobre seu mais recente lançamento, o livro infantil "Sinto o que Sinto" (Carochinha, 2019), e as novidades que estão por vir.

"Eu acho importante a gente ensinar as crianças a nomearem o que elas estão sentindo e aprenderem a lidar com o que elas estão sentindo. O livro é para dar esse auxílio, que eu acho que serve para nós, adultos, também. Às vezes a gente fica sentindo, correndo, fazendo e não se dá conta de entrar em contato com nossos sentimentos", explicou. 

"Sinto o que Sinto" conta a história de Dan, uma criança que se depara com o amor, timidez, ciúme e uma infinidade de sentimentos no decorrer de um dia. Para Ramos, é importante abordar o assunto dos sentimentos no universo infantil para que os pequenos saibam "o que fazer deles". 

"Eu vivo isso em casa com meus filhos. Às vezes eles são seres que vão caminhando, sentindo, sentindo, sentindo, expressando esses sentimentos, mas nem sempre sabem que têm a possibilidade de escolher o que vão fazer com eles. Desde os mais confortáveis de lidar, como amor e saudade, até os mais desafiadores, como medo, ciúme, raiva... É uma possibilidade de começar esse assunto já na infância para as pessoas administrarem isso nas suas vidas ao longo do tempo", disse o escritor, que é pai de João Vicente, 8, e Maria Antônia, 4. 

Além dos sentimentos, há no livro uma segunda história sobre um povo africano que habita as margens do Rio Omo, na Etiópia. "A gente tem pouco acesso, mas eles produzem uma arte linda, de vestuário, são verdadeiras obras de arte, e eu achei que seria uma boa ideia de mostrar para as crianças, essa possibilidade criativa de lidar com a terra, com fruto e com planta"

O livro conta com ilustrações de Ana Maria Sena e é uma parceria com o Mundo Bita, animação que emprestou a identidade visual à obra. Esta é a quarta publicação de Ramos para crianças: "A Velha Sentada" (2010), "O Caderno de Rimas do João" (2014) e "O Caderno Sem Rimas da Maria" (2018) foram os outros livros infantis com a assinatura do escritor. 

Além da literatura infantil, Ramos lançou em 2017 o livro "Na Minha Pele", sobre experiências pessoais e racismo. Dan, personagem principal de "Sinto o que Sinto", também é negro. Sobre inclusão da temática racial em suas obras e importância da representatividade, sobretudo no mundo infantil, o escritor disse: "Eu acho bacana oferecer a pluralidade para as crianças na literatura. Mesmo que meus livros não falem exatamente sobre racismo, falam sobre identidade, autoestima, foi a voz que encontrei quando escrevo para crianças".

MERCADO EDITORIAL E LITERATURA INFANTIL

Para Ramos, a função primordial da literatura é aproximar. Mesmo assim, nem sempre é fácil embarcar no meio: "Fazer literatura é um desafio, porque hoje em dia a oferta é muito grande. É um desafio encontrar temas, conseguir ser relevante".

Mas, ao mesmo tempo, e com toda dificuldade de publicação, ele garante que o livro continua sendo uma fonte primeira de acúmulo de conhecimento e lazer. "Tem acontecido uma coisa muito bonita: justamente nesse momento que a vida está tão acelerada, que a tecnologia está tão presente, têm famílias que estão fazendo o caminho inverso, que é procurar por livros. A leitura é uma experiência única, de estímulo à criatividade, prazerosa, de acolhimento", afirmou. 

Sobre a oferta de obras infantis com a temática racial ou com personagens negros, Ramos diz acreditar que, hoje em dia, já é muito mais vasta que antigamente. "Se a família estiver atenta a esse assunto, encontra um material farto. Tem várias editoras novas surgindo com uma literatura plural. É muito diferente da minha infância, por exemplo, que se eu quisesse um livro sobre esses assuntos, não ia ter tão facilmente". 

PROJETOS FUTUROS

Taís Araújo, 40, com quem o ator é casado desde 2011, foi escalada para a nova novela das nove da Rede Globo. Mas Ramos nega que esteja entre os nomes de "Amor de Mãe": "Saiu na mídia, mas não estou no elenco da novela. Só a Taís, mesmo", revelou.

Os planos imediatos do ator e escritor são de continuar com as apresentações do musical "Viagens da Caixa Mágica" pelo país, projeto infantil com o qual já percorreu o Brasil em 2018. Todas as músicas do projeto estão disponíveis nas plataformas de streaming digital. 

No cinema, Ramos estreia como diretor no longa de ficção "Medida Provisória". No filme, ele dirige a própria esposa, Taís Araújo. Além dela, o elenco conta com participação internacional do ator Alfred "Alfie" Enoch, 30, protagonista da série "How To Get Away With Murder". Filho de mãe brasileira e pai inglês, Enoch fala portugês fluentemente. O longa está em fase de finalização e o diretor pretende dedicar seu tempo a inscrevê-lo nos festivais. 

Ainda esta semana, Ramos contou que está indo à Bahia, em Itacaré, para a produção de outro longa-metragem. "Estou economizando para não contar tudo!", concluiu, sem especificar o próximo projeto audiovisual.