Jornal do Brasil

CadernoB - Cinema

Brasil na lista dos primeiros filmes do Festival de Berlim

Jornal do Brasil MYRNA SILVEIRA BRANDÃO, cadernob@jb.com.br

A comemorativa 70ª edição do Festival de Berlim, que acontece de 20 de fevereiro a 1º de março de 2020, divulgou os primeiros filmes das mostras Panorama, Geração, Berlinale Special e Fórum Expanded. Ao fazer o anúncio, Carlo Chatrian, novo diretor artístico da Berlinale, disse que é importante notar que o programa é mais do que apenas a soma dos filmes selecionados. "É o resultado de um processo de trabalho colaborativo que tem como objetivo fornecer uma imagem que destaca o cinema como uma forma narrativa, que fala das pessoas e de seu mundo”, ressaltou.

Macaque in the trees
Cidade Pássaro (Foto: Primo Filmes)

A Panorama divulgou 18 filmes, incluindo onze estreias mundiais e cinco estreias na direção que abordam temas como pós-migração, conflito de gerações e outras turbulências do mundo atual.

O Brasil marca presença na prestigiada mostra com “Cidade Pássaro”, de Matias Mariani. Numa história enigmática em vários níveis, o filme segue Anadi, um jovem músico que viaja da Nigéria para São Paulo em busca de notícias de Ikena, seu irmão mais velho.

Na Geração, destinada aos jovens, foram confirmados 20 filmes das mostras Geração Kplus e Geração 14plus. Os títulos foram selecionados de 13 países. Alemanha e França com três produções e seis coproduções, respectivamente, estão fortemente representadas. As histórias multifacetadas falam de jovens em movimento, explorando a si mesmos e novos mundos.

O Brasil está presente na Geração com “Meu nome é Bagdá”, de Caru Alves de Souza. O filme, que se passa no mundo skatista de São Paulo, aborda o tema do empoderamento, através de Bagdá que, embora confiante em seu meio familiar, precisa enfrentar desafiadoramente a vida do lado de fora, nas ruas, clubes e em outros locais.

O primeiro convidado de destaque da Gala Especial da Berlinale será o diretor Matteo Garrone, com “Pinóquio”, que terá sua estreia no festival. “Garrone consegue recontar a conhecida história com seu próprio mundo de imagens. Embora seja fiel às ideias de Carlo Collodi, ele criou um Pinóquio muito pessoal que é muito mais alegre do que já experimentamos antes”, definiu Chatrian.

A seleção da 15ª edição da Fórum Expanded está quase concluída. Os trabalhos já confirmados incluem novos filmes de Ana Vaz e Akram Zaatari e instalações de Filipa César, Kika Thorne, Joe Namy, Forensic Architecture e The Otolith Group.

Confira a relação dos filmes divulgados até agora:

PANORAMA

The Assistant, de Kitty Green – EUA

Notes from the Underworld, de Tizza Covi e Rainer Frimmel – Áusria

Bloody Nose, Empty Pockts, de Bill Ross e Turner Ross – EUA

Cidade Pássaro, de Matias Mariani – Brasil / França

Digger, de Georgis Grigorakis – Grécia / França

Eeb Allay Ooo!, de Prateek Vats – India

Exile, de Visar Morina – Alemanha / Bélgica / Kosovo

No Hard Feelings, de Faraz Shariat – Alemanha

Hope, de Maria Sodahl – Noruega / Suécia

Running on Empty, de Lisa Weber – Áustria

Wildland, de Jeanette Nordahl – Dinamarca

Las Mil y Una, de Clarisa Navas – Argentina / Alemanha

Pari, de Siamak Etemadi – Grécia / França / Holanda

Petite Fille, de Sébastien Liifshitz – França – documentário

Black Milk, de Uisenma Borchu – Alemanha / Mongólia

If it Were Love, de Patric Chiha – França

Suk Suk, de Ray Yeung – Hong Kong / China

Welcome to Chechnya, de David France – EUA

GERAÇÃO

Generation 14plus

Black Sheep Boy, de James Molle – França

Cleps, de Halima Ouardiri – Canadá

The Flame, de Nick Waterman – Austrália

Goodbye Golovin, de Mathieu Grimard – Canadá

Kokon, de Leonei Krippendorff – Alemanha

Meu nome é Bagdá, de Caru Alves de Souza – Brasil

Something to Remember, de Niki Lindroth von Bahr – Suécia

Our Lady of the Nile, de Atiq Rahimi – França

Paradise Drifters, de Mees Peijnenburg – Holanda

Pompei, de Ana Falguères 4e John Shank – Bélgica / França / Canadá

White Riot, de Rubika Shah – UK

Generation Kplus

Death of Nintendo, de Raya Martin – Filipinas – EUA

Un Diable dans la Poche, de Antoine Bonnet e Mathilde Loubes – França

A Fool God, de Hiwot Admasu Getaneh – França

H is for Happimess, de John Sheedy – Austrália

Los Lobos, de Samuel Kishi Leopo - México

Cuties, de Mimouna Doucouré – França

Perro, de Lin Sternal – Alemanha

Sweet Thing, de Alexandre Rockwell – EUA

Velns of the World, de Byambasuren Davaa – Alemanha / Mongólia