Filme inovador é destaque em Sundance

.

Foto: Sundance Institute
Credit...Foto: Sundance Institute

“Flee”, de Jonas Poher Rasmussen, foi selecionado para a Documentário Mundial do Festival de Sundance, com o status de título de abertura da mostra. O filme teve sua segunda exibição nesse sábado (30).

A história segue Amin (pseudônimo), um refugiado afegão que concorda em trazer à tona uma história pessoal de perseguição e fuga do seu país para a Dinamarca, com a condição que sua identidade não seja revelada.

Para realizar esse objetivo, seu amigo cineasta utiliza uma impressionante animação, não apenas para proteger o jovem, mas também para aprimorar a narrativa de uma jornada visceral, poética e desafiadora, acrescida da vontade implacável de sobreviver.

O resultado é um filme desvinculado das restrições do documentário e com uma gama surpreendente de imagens de arquivo, música pop dos anos 80 e artesanato desenhado à mão que leva o público a se identificar de imediato com a experiência de um ser humano que foge de vários países e o impacto psicológico que isso causa.

O filme é um triunfo da engenhosidade cinematográfica, mas uma de suas maiores qualidades – além da confiança que o diretor consegue com o protagonista – é o viés universal desta história única que poderia ter acontecido em qualquer lugar do mundo.

Na entrevista após a projeção, Rasmussen falou sobre a ideia de fazer o filme, o processo utilizado para realizá-lo e sua relação com Amin.  “Nós nos conhecemos há 25 anos. Em certo ponto, percebi que ele tinha uma história forte que precisava ser contada. Por várias vezes conversamos sobre isso, mas ele sempre dizia que não estava pronto. E quando estivesse, nós faríamos o filme. A ideia da animação trouxe a possibilidade de o mantermos no anonimato, além de permitir um estilo visual com mais emoção” explicou o diretor, acrescentando que juntar toda a pesquisa e preparar um conceito para o estilo de animação foi demorado e desafiador. “Eu tinha filmagens prévias de Amin, mas a maior parte do documentário foi animada do zero”, complementou.

Macaque in the trees
O diretor Jonas Poher Rasmussen (Foto: Sundance Institute)

Com produção executiva de Riz Ahmed e Nikolaj Coster-Waldau, o filme foi um dos primeiros títulos a ser adquirido nesta edição virtual do Sundance e é um forte candidato ao prêmio de melhor documentário mundial.

“Fiquei impressionado com o impacto emocional de “Flee”. Este é um projeto único que impulsiona nossas ideias do que podem ser documentários, animações e narrativas centradas nos refugiados. Tenho orgulho de ajudar a dar vida a este projeto”, declarou Ahmed complementado por Coster Waldau.

“Estou incrivelmente orgulhoso de fazer parte do “Flee” e incentivarei todos a vivenciar essa joia de filme”, ressaltou, enfatizando que é uma história de perseverança onde toda esperança parece perdida.



Flee é a história de um refugiado afegão que concorda em trazer à tona uma história pessoal de perseguição e fuga do seu país para a Dinamarca; o cineasta utiliza uma impressionante animação para proteger o jovem
O diretor Jonas Poher Rasmussen