Inhotim vai reabrir no sábado

Considerado um museu a céu aberto, espaço cultural não foi diretamente atingido pela lama

Reprodução/Instituto Inhotim
Credit...Reprodução/Instituto Inhotim

O Instituto Inhotim confirmou ontem que reabrirá o espaço ao público no próximo sábado. A instituição, localizada em Brumadinho, Minas Gerais, município que enfrenta as consequências do rompimento de uma barragem de rejeitos de uma mina, já havia manifestado a intenção de normalizar os serviços no próximo fim de semana.

Sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil, o instituto não foi diretamente atingido. Em sua conta no Twitter, a administração do Inhotim informou que, entre as vítimas e feridos no incidente, não há funcionários de seus quadros, mas que o setor de Recursos Humanos descobriu que 41 empregados têm parentes próximos desaparecidos. "Estamos prestando assistência e apoio psicológico a essas pessoas nesse momento de dor", diz a administração.

"A reabertura do Instituto está prevista para esta sexta-feira (1º), com todo o cuidado e respeito ao momento que a comunidade de Brumadinho vem passando nos últimos dias. A entrada do município foi reaberta, o trânsito está liberado, as pessoas voltaram para as suas casas. Segundo os órgãos competentes, no momento não há risco de rompimento de outra barragem. Apesar do luto, é necessário retomar as atividades, encontrar novos caminhos para superar essa tragédia e manter a cidade funcionando. Entendemos que cultura, arte, meio ambiente e educação têm um papel fundamental no desenvolvimento humano e da sociedade. E terá um papel crucial na recuperação da cidade nos próximos anos", acrescentou a administração do complexo de arte.

A seus seguidores no Twitter, o instituto agradeceu pelas diversas mensagens de solidariedade e apoio recebidas.

Inaugurado em 2006, Inhotim tornou-se um dos principais destinos turísticos de Minas Gerais e recebe em torno de 350 mil visitantes por ano. É considerado o maior museu a céu aberto do mundo, em um Jardim Botânico de rara beleza. Os jardins do parque tiveram a influência de Roberto Burle Marx (1909-1994) e seu paisagismo foi desenvolvido por vários profissionais ao longo de dez anos. Dentre eles, Luiz Carlos Orsini, responsável pelo projeto paisagístico de 25 hectares entre 2000 e 2004, e Pedro Nehring, atual paisagista responsável por enriquecer e atualizar os jardins do Inhotim.

Em toda a área, são encontradas espécies vegetais raras, dispostas de forma estética, em terreno que conta com cinco lagos e reserva de mata preservada. Além desses espaços de fruição estética e de entretenimento - que lhe garantem um lugar singular entre outras instituições do gênero, o Instituto Inhotim também desenvolve pesquisas na área ambiental, ações educativas e um significativo programa de inclusão e cidadania para a população da região. (Com Agência Brasil)