Longe de roubadas

A nova edição da ‘agenda carioca’, de antonia leite barbosa, chega em formato diferente e mais enxuta g uardar uma descoberta a sete chaves e só para si passa longe do que a jornalista antonia leite barbosa busca na agen da c arioca (editora senac rio e banjo editora, r$ 70), que chega às livrarias esta semana. a nova edição, com cerca de 800 dicas, mas mais enxuta para reduzir o peso, divide-se em cinco volumes – arte, decoração e casa; moda; turismo e entretenimento; bares, restaurantes, badalação; e mente, corpo, beleza, festas.

– na edição passada (2008) eu tinha aberto muito o leque, e a intenção nunca foi concorrer com as páginas amarelas – brinca antonia. – a ideia sempre foi ser mais seletiva.

Apesar de fugir desse tipo de guia, antonia, uma eterna curiosa em busca de descobertas, é meio as páginas amarelas das amigas.

– minhas amigas me consultam para tudo – confirma. – eu virei referência de dicas descoladas. pessoas com quem nem tenho muita intimidade me ligam para pedir dicas.

Antonia acredita que ao longo de dois anos, intervalo entre as edições da a g e nda carioca , viu um crescimento das artes plásticas.

Na hora de passar as dicas para o livro, foge ao padrão de outros guias.

– eu não tenho bombeiro, eletricista como as páginas amarelas, são menos categorias – graceja antonia. – o diferente é que eu dou a dica com mais profundidade. é um texto longo, com foto do lugar, da pessoa. só de ler, você já forma uma opinião do espaço, do profissional. acho que o propósito da agenda é você poder ver se se identifica com aquilo. ela faz com que as pessoas consigam tirar uma conclusão assertiva. viu a foto, se interessou? dificilmente, ela vai entrar em roubada.