Dono do jogo

Para a steppenwolf theatre company de chicago. o cinema começou a cruzar seu caminho ainda cedo, embora de maneira homeopática; um pequeno papel em c e r imônia de casamento (1978), de robert altman, outro maior em um lugar no coração (1984), de robert benton, protagonizado por sally field, e outro mais adiante, em o império do sol (1987), de steven spielberg. ai veio o primeiro grande sucesso, como o ardiloso visconde de valmont de ligações perigosas (1989), de stephen frears.

O ator diz que valmont é um de seus papéis mais queridos no cinema, ao lado de abel tiffauges, o ogro de o guardião da floresta (1996), de volker schlöndorf, e outro em co lour me kubrick: a true...ish story (2005), de brian w. cook, segundo ele “um personagem bastante divertido em um filme que nunca foi propriamente lançado”. mas não tem certeza se a experiência teatral o ajudou a ser um profissional melhor no cinema.

– na verdade, acho que o teatro não me ajudou em nada no cinema – reflete malkovich. – pensando melhor, nunca entendi direito por que resolvi fazer filmes também. são atividades tão diferentes entre si, não têm nada a ver uma com a outra, sequer podem ser consideradas carreiras primas... o que posso dizer é que gosto de projetos bons, não importa se uma peça ou um filme. claro, nada é mais deprimente do que sentar numa poltrona e assistir a uma montagem teatral ruim. é uma experiência extremamente dolorosa. mas um filme ruim também não é nada agradável, especialmente se você participou dele.

Depois de seu compromisso em marrakech, malkovich volta para viena (áustria), onde começou a ensaiar the giacomo variations , uma mistura de peça e ópera sobre o conquistador veneziado do século 18 que sobe aos palcos do teatro ronacher a partir do dia 5 de janeiro. malkovich interpreta o personagem-título na produção que tem música de wolfgang amadeus mozart e o barítono austríaco florian boesch como parceiro cantante. ao mesmo tempo, acompanha os trabalhos de pós-produção e de lançamento de young adult , filme que produziu em nova york com a mesma equipe do bem-sucedido juno – ivan reitman na direção e diablo cody no roteiro.

– é por isso que, quando me perguntam se passo mais tempo na minha casa no interior da frança ou no meu apartamento nos estados unidos, minha resposta sempre é: “nunca consigo passar muito tempo em lugar algum”.

O repor ter viajou a convite da organização do festival.