Heloisa Tolipan

Heloisa Tolipangentejb.com.br

continua

Se procurarmos na internet o termo

Inclassificáveis

, o nome de

Ney Matogrosso

logo sur- girá, em referência a seu disco de 2008. De fato, o adjetivo não poderia ser mais preciso quan- do se pensa nas múltlipas qua- lificações do cantor que em- presta seu sangue latino para fazer da nossa música o que é. Agora, o intérprete resolveu ganhar os palcos sob a lupa do cronista

João do Rio

, na dire- çãodapeça

Dentro da noite

, queestreou, sexta-feira,no SESC deCopacabana. Nós,é claro, ficamos curiosíssimos para saber um pouco mais so- bre sua nova empreitada e re- solvemosprocurar Neypara batermos um papo breve. Mas, como as aparências enganam, um assunto levou ao outro e a conversa deu no que falar...

Qual prazer de dirigir?

– O prazer de estar em contato com o teatro é maravilhoso.

João do Rio para Ney:

– Joãodo Rioé umautor que deveria ser estudado nas uni- versidades do Brasil.Foi im- portantíssimo para seu tempo eagorapoucos sabemdesua existência. Como cronista, ele forneceu muita informação sobre os diversos cantos do Rio de Janeiro do início do século 20. Além de ter uma coragem transgressora de, em 1900, abordar temas polêmicos.

Aeleição 2010marcou ore- trocesso das discussões sobre direitos dos homossexuais?

– Acho que o retrocesso está no fatodeos discursosdoscan- didatos estarem vinculados a questões religiosas, e isso não tem nada a ver com o contexto brasileiro e nossa constitui- ção. O estado deve ser laico e as igrejas nãopodem comandar oespetáculo. Senãonósvira- remos o Irã ou aiatolás.

Dilma e Serra não se posicio- nam em relação à união civil homossexual...

– Eu acho que, se duas pessoas vivem juntas e constroem um patrimônio, não deve ser da fa- mília o direito de ficar com os bens, casoum morra.Vimos muitoscasos comoesse,nos

Ney (Matogrosso) do Rio!

NEY DIRIGE MARCUS ALVISI NA PEÇA ‘DENTRO DA NOITE’, NO SESC DE COPA

Rui Mendes