O flerte do livro com o palco

priorizada em

Divã

e, principal- mente,

Doidas e santas

. –Não hádemérito algumno entretenimento – entende. –

Di - vã

contou com as participações de Lilia Cabral e de Marcelo Sa- back naadaptação, enquanto que em

Doidas e santas

, Regiana Antonini foi chamadapara as- sumir essa função. Em

Não existemulher difícil

, em cartaz no Teatro do Leblon, Marcelo Serrado visitao uni- versomasculino aoentrarna pelede umpersonagemque, diante de um sofrimento amo- roso, procurapassar avida a limpo.O espetáculomarcaa perpetuação da parceria entre Serrado e Otávio Müller depois da bem-sucedida montagem de

No retrovisor

, de Marcelo Rubens Paiva. Sintonizados com o livro de André AguiarMarques, am- bosdecidiram convidarLucio Mauro Filho,que assinou

Lucio 80-30

(texto noqualhomena- geou o pai, o ator Lucio Mauro) e

Seu realityshow

, parafazer a adaptação. – Eume depareicom facili- dades e dificuldades diante do desafio de adaptar um livro pa- ra a cena. Por um lado, há dados concretos sugeridos no próprio livro; poroutro épreciso lidar com as diferençasentre litera- tura e teatro – aponta Lucio Mauro Filho. Já

Dolores

surgiu de uma em- preitadaassumida pelaprópria Raquel Maia, queacumula as funções de autora, adaptadora e atriz namontagem emcartaz, atualmente, na Casa da Gávea. – No lançamento do livro, es- colhi um formato diferente – co- menta Raquel. – Encenei as crô- nicas com o objetivo de estimu- lar as pessoas alerem o livro. Nãodemorou acomeçarema meincentivar atransformaro livro em espetáculo. Aautora utilizouprocedi- mentos diferentesna horada adaptação.Algumas cenasfo- ram transportadasdiretamen- tedaliteratura. Emoutras,é possível percebera passagem de uma gramática artística pa- raoutra.Sob adireçãodeDa- niela Gracindo,Raquel Maia divide a cena com o ator Eduar- do Rochwerger e interpreta, no palco, quasetodas aspersona- gens de seu livro, uma reunião de contos e crônicas que trazem no título nomes de mulheres. – Escolhi Dolores para intitular porque remetea dores.Abordo questões não só femininas como humanas – sublinha Raquel, que buscou vaga inspiração na figura da cantora Dolores Durán.