programa

-->CRÍTICA -->|COMER, REZAR, AMAR-->5-->Sentar , assistir e, talvez, gostar-->Filme não passa a mesma emoção do livr o que o originou-->Rober to Cunha-->Alguns filmes já c hegam com c hancelas que par ecem gar antir pr e viamente seu sucesso . Baseado no best-seller homônimo da jor- nalista que decidiu c h utar tudo par a o alto par a se r e - encontr ar dur ante uma lon- ga e descompr omissada via- gem, o longa pr otagonizado por J ulia Roberts pode não ag r adar a todos. Repleto de belas sequências em loca- ções na Itália, Índia e Bali, acompanhadas da trilha eclética de Fleetw ood Mac, Neil Y oung, K ool e T he Gang, T om J obim e Be bel Gilberto , o elenco conta ain- da com o no v o objeto de de- sejo feminino J a vier Bar- dem. Mas nem só de bons temper os se f az um bom pr a- to . É pr eciso sa ber usá-los. Enquanto o l i v r o pr opor cio- n a a possibilidade de -->viajar -->nas páginas, o filme tr aduz boa parte delas e, embor a conte com inter pr etações cor - r etas, não passa a pr o váv el emoção que a autor a de v e ter sentido na pele. O conteúdo de quem per deu o apetite pe - la vida, apr esentado par a a r efle xão , se mostr a r aso e r e - corr e a fr ases de efeito como “Deus vi v e dentr o de v ocê, mas sendo como v ocê”. O r o - teir o até costur a bem as tr an - sições do per sonagem, mas a edição irr egular destrói, por e xemplo , dois belos momen - tos (o flerte dela no bar com o ator e as carícias com o per - sonagem br asileir o) com cor - tes secos, que br ando o encan - to da cena. Assim, o melhor deste filme morninho está nas imagens e na pr esença constante do bom humor . É o caso então de sentar , assistir e, talv ez, gostar .-->T AMBÉM ESTREIA -->|OS V AMPIROS QUE SE MORDAM-->A outra face do ‘Crepúsculo’-->Longa abusa do besteir ol para satirizar filmes de vampir o-->Julia Moura-->O filme a bor da a angústia amor osa vi vida por Becca (J enn Pr osk e), uma adoles- cente indecisa entr e dois ga- r otos. Soa f amiliar? A sátir a que os dir etor es J ason F ried- ber g e Aar on Seltz er f az em à saga -->Cr e púsculo -->é e vidente lo go no começo . A lém de o nome dos per sonagens ser semelhante – os principais se c hamam Becca e E d w ar d Sullen (Matt Lanter), em -->Cr e púsculo, -->Bella e Ed w ar d Cullen – a car acterização é a mesma. A p esar do humor pastelão , algumas cenas co- mo a de Becca cortando o dedo – que deixa os v a m- pir os f amintos – conseguem tir ar algumas risadas do es- pectador . Outr o destaque é Ed w ar d se maquiando par a ficar ainda mais br anco . Mas quem não assistiu ao filme -->Cr e púsculo -->, baseado no li vr o de Stephanie Me y er , pode não entender as piadas. Quase todas as cenas do fil- me vão sendo r epr oduzidas em -->Os v a mpiros que se mor- dam -->. Becca segue a tr ama lutando contr a di v e r sos pr o- blemas pessoais até que, em sua f ormatur a, tudo começa a vir à tona. A não v ampir a terá que escolher entr e um lobisomem e u m v ampir o , além de tomar cuidado pa - r a não ser de v or ada. Se em -->Cr e púsculo -->a f amília Cullen er a herbív or a, nesse filme os Sullen não le v am sua dieta tão a sério . Quem não é lá m uito fã de -->Cr e púsculo -->aca ba se di v ertindo , en - quanto os vidr ados na saga podem não ter r esposta tão positi v a assim.--> Divulgação-->AMOR ACIDENT AL -->– Depois de Felipe (Javier Bar dem) atr opelar Liz (Julia Rober ts), os dois começam a namorar -->INDECISÃO -->– Becca não consegue decidir se quer passar o r esto de sua vida ao lado do vampir o Edwar d Sullen