O poder REDES SOCIAIS

-->Novo e concor rido filme de David Fincher nar ra a complicada história por trás da criação do Facebook-->das fabuloso-->Myrna Silveira Brandão-->ESPECIAL P ARA O JORNAL DO BRASIL, DE NOV A YORK-->parte do elenco , vi v endo o empr e - sário Sean P ar k er , um dos cria - dor es do Napster . Na coleti v a após a pr ojeção , F in - c her – que c hegou acompanhado pelos ator es Eisenber g, Garfield, T imber lak e e pelo r oteirista Aar on Sor kin – disse que o filme não é apenas sobr e o F ace book. – H á uma história irônica por trás disso tudo , que f ala sobr e amizade, poder , lealdade e a n e- cessidade de se conectar com ou- tr as pessoas. O F ace book originou um dr ama f ascinante e também ácido – definiu. P ar a F inc her , r e v oluções como a pr o v ocada pelo F ace book são r ece bidas de di v er sas maneir as: – Eu, por e xemplo , sei de f orma m uito subjeti v a o que significa ter 21 anos de idade, sentar n uma sala c heia de adultos e ouvir que sua paixão por alguma coisa é “bonitinha”. Isso deixa qualquer um furioso . Normalmente, o que acontece é que esse jo v em decide tocar f o go na sa bedoria con v e n- cional e l e v ar o seu pr ojeto fu- turista em fr ente. Sor kin, que é mais um escritor literário do que um r oteirista de cinema, e xplicou que a gênese da história f oi um jo v em deslocado quer endo desesper adamente pertencer a um g rupo . – No fundo , é a tr ajetória de um hac k er que se tr ansf ormou no pr e- sidente de uma m egaempr esa, e ac ho que Da vid (F inc her) te v e um pr ofundo entendimento e instin- to par a f alar sobr e esse per so- nagem – r essalta Sor kin, que par- ticipou de todas as etapas do fil- me. – Nós discutimos os moti v os das ações e r eações dos per so- nagens. Queríamos sa ber o que cada um pensa v a sobr e o assunto , e tentei encontr ar um final o mais humano possív el. Eisenber g disse que pr ecisa v a f az er u m per sonagem com o qual os espectador es, apesar de tudo , simpatizassem. – Eu quis r essaltar a dificul- dade que ele tinha de se com u- nicar , o que certamente o torna mais inter essante. E pr ocur ei também f az er dele uma pessoa plena, embor a solitária – e xpli- cou o ator , que se inscr e v eu no F ace book par a ter melhor enten- dimento de Zuc k erber g. Como a autoria do F ace book está en v olvida n uma teia de su - posições, F inc her r ecorr e a vá - rios pontos de vista par a mos - tr ar a tr ajetória de Zuc k erber g, seus amigos, inimigos e pr oces - sos judiciais. – O filme conta uma história complicada de f orma empol - gante. Há vários per sonagens diz endo que estão certos e, de certa f orma, todos estão – de - clar a Eisenber g. Garfield, que tem uma par - ticipação importante no filme, contou como se pr epar ou par a vi v er o br asileir o , que, desde sua saída de Har v ar d, tem e vi - tado dar entr e vistas. – T entei per sonalizar Eduar - do de uma f orma indir eta bus - cando e xpr essar tudo o que ele sentia – contou o ator , que será o pr otagonista do próximo -->O h o m e m - a ra n h a -->, dirigido por Mar c W e b b. A história v erídica ser v e também como metáf or a par a o tr atamento de temas como ami - zade, a natur eza da solidão e as dificuldades no ambiente da com unicação . Afinal, como r es - saltou o dir etor , ninguém f az 500 milhões de amigos sem f a - z er alguns inimigos. O F ace book passou a mar ca de 500 milhões de usuários em julho último e é objeto de outr o li vr o: -->T he F ace book effect: T he inside story of the compan y tha t is connecting the world -->( -->O efeito F ace book: P or dentro da empr esa que está conectando o m undo -->), de Da vid Kir kpatric k.-->CINEMAAMIZADA E EMBA TE -->– O filme nar ras as complicações pessoais e legais dos criador es-->Às sete hor as da ma - nhã de se xta-feir a, uma fila enorme já d o b rava o quartei - rão do Lincoln Center par a a pr ojeção par a a impr ensa, que começaria só da - li a duas hor as, do aguar dado -->T he social network -->, de Da vid F in - c her ( -->O curioso caso de Benjamin Button -->), que de v e estr ear no Br asil em dez embr o . A e xpec - tati v a dos jornalistas pr esentes ao 48° F esti v al de No v a Y or k er a g r ande, mas o burburinho sur - pr eendeu até os or ganizador es da mostr a. Baseado no li vr o -->O bilionário acidental -->, de Ben Me - zric h, o filme a bor da os basti - dor es da criação do F ace book e seu impr essionante e v ertigino - so cr escimento . A história começa em 2003, quando Mar k Zuc k erber g, então aluno de Har v ar d, põe em prática uma no v a ideia que culmina com a criação da f amosa r ede social e o torna o mais no v o bilionário da internet. O sucesso , no entanto , v e m acompanhado de complica- ções pessoais e legais. O li vr o i n- clui outr os per sonagens que t i- v er am papel fundamental na criação do F ace book, entr e eles o carioca Eduar do Sa v erin, amigo de Zuc k erber g e m Har v ar d. Sa- v erin f oi sócio do site, ajudou a via bilizá-lo , mas, segundo consta, quando o negócio começou a dar certo , o americano o e xcluiu da sociedade e deixou a f aculdade par a contin uar o pr ojeto . Sa v erin, que vi v eu no Br asil até a adolescência, ficou em Har v ar d e se diplomou em economia. Ele con - seguiu uma indenização cujo mon - tante n unca f oi r e v elado e o dir eito de constar entr e os fundador es da r ede. Zuc k erber g é inter pr etado por J esse Eisenber g, e Andr e w Garfield inter pr eta Sa v erin. O can - tor J ustin T imber lak e também f az-->Divulgação