Anna Ramalho

-->aramalhojb.com.br | www .annaramalho.com-->Pintou (muita) sujeira-->O-->Rio de J aneir o está um nojo . Imagino que T er e - sina, Florianópolis, Cam - po Gr ande, São P aulo , BH tam - bém. Será que não há um jeito de se f az er uma campanha li vr e des - ses outdoor s imensos, enfileir a - dos, ocupando espaços e paisa - gens tão g r atos a todos os elei - tor es? Cadê a economia do papel, que está em crise no m undo todo? Cadê o r espeito à sustenta bilida - de, ao meio ambiente, que todos os candidatos – a car gos mino - ritários também – têm afinadinho no go gó? Ninguém quer ag r edir o meio ambiente, mas ag r edir o senso estético do eleitor pode? Empor calhar a cidade pode? Uma c huvinha mais f orte e v ai ser um tal de desmilinguir aqueles candidatos – todos lindos e de dentes alv os, sem um fio de ca belo br anco – nos bueir os já entupi - désimos da nossa m ui leal e ama - da Cidade de São Se bastião do Rio de J aneir o , aquela que quase submer giu em a bril passado . Ima - gino que o mesmo perigo r onde as outr as cidades, as outr as capitais. Ninguém f az nada? P or quê? Só dá Dona Dilma e Seu Ca br al – os campeões de outdoor s (e v o - tos) aqui no Rio , onde têm toda a sorte de aliados – nas ruas do Rio . F ico matutando: será que isso fun - ciona v er dadeir amente? Ambos estão nos píncar os das pesquisas, è v er o – mas será que os v otos são pr ometidos enquanto os eleitor es r espondem ao pesquisador diante de um cartaz daqueles? Não posso r esponder nem gar antir nada por - que, tal como meu ídolo Nelsinho Motta confessou há dias, em meus gloriosos 61 anos, jamais fui en - tr e vistada por um instituto de pes - quisa de opinião . E agor a, v amos combinar , a mi - nha opinião pouco importa por que nosso Amado Mestr e já decr etou que “a opinião pública somos nós”. Nós, quem, car a pálida? V ossa Ex - celência, né? J unto com aquela briosa turma da Casa Ci vil. Er e - nice e seus er enezinhos. É dose!-->sss-->O pessoal está começando a se me xer via internet – onde, g r aças ao Bom P ai, a br onca é li vr e, a opinião ainda é nossa, onde a gen - te ainda vi v e sem medo de ser feliz. Agor a mesmo , r ece bi e-mail de con v ocação das minhas antigas colegas de colégio , todas m ulher es bem postas, r esolvidas e r elati v a - mente a bonadas (mas nenhuma construiu réplica de V er salhes pa - r a casar filho . São m ulher es de classe, de categoria). Estão se me - xendo na r ede par a tentar vir ar o jo go . E par a in via bilizar a cons - trução do Instituto Lula da Silv a no palacete dos P aula Mac hado , na Rua São Clemente, bem em fr ente ao Santo Inácio . Estão ti - riricas (com tr ocadilho , -->please -->) com a ideia do pr efeito . T ento aderir , f aço tudo par a me entusiasmar . Não consigo . Não gosto do jo go que está sendo jo - gado nas altas esfer as públicas. É decepcionante. É de amar gar . Mas é o jo go que está sendo jo gado na fr ente de todos os br asileir os. E car a aleg r e. Resta um con- solo , pelo menos: quatr o anos passam v oando , né, não?