Escolha apolitica

-->CINEMA-->Divulgação-->Mesmo sem o entusiasmo da crítica e com a decepção comer - cial (os 800 mil pagantes ficar am m uito a baixo das e xpectati v as), -->Lula, o filho do Br asil -->, de F a bio Barr eto , f oi escolhido , ontem, por unanimidade, par a r epr esentar o país na disputa por uma das cinco v agas ao Oscar de Melhor F ilme em Língua Estr angeir a. P ar a a co - missão de seleção , o longa é, entr e os mais de 20 títulos inscritos, a obr a com mais r eper cussão no e x - terior , pela própria importância de seu pr otagonista. – É possív el que v ocês da im- pr ensa caiam em cima da gente, digam que f omos subornados, pr essionados, mas não tem nada a v er – afirma o crítico e cineasta J ean-Claude Bernar det, um dos membr os da comissão , em r e s- posta a uma possív el polêmica de que pudesse ha v er algum pendor político na indicação . – F oi sim- plesmente uma escolha r acional. Não houv e pr eferências, pes- soais ou políticas. De todos os inscritos, er a o único que tinha condições de c hamar a atenção . Se esti véssemos nos anos 70, es- colheríamos -->Dona Flor e seus dois maridos -->... Pré-selecionado pela comissão f ormada por membr os do MinC, da Secr etaria de A udio visual, da An - cine e da Academia Br asileir a de Cinema, -->Lula, o filho do Br asil -->ba - teu mais de 20 outr os longas ins - critos (entr e eles, -->Nosso lar -->, de W ag - ner de Assis; -->Bróder -->, de Jéfer son De; -->A supr ema felicidade -->, de Ar - naldo J a bor; e o coleti v o -->5x fa vela – Agor a por nós mesmos -->). Agor a, po - rém, enfr enta no v a triagem, com concorr entes internacionais, em janeir o , na busca par a figur ar en - tr e os candidatos na categoria de língua estr angeir a, escolhidos pela academia americana de cinema. O caminho é difícil. O último longa br asileir o que conseguiu ser selecionado f oi -->Centr al do Brasil -->, em 1999. P ar a a pr odutor a Mariza Leão , outr a integ r ante da comissão , a pr odução do clã Bar- r eto é a mais capacitada não ape- nas par a conquistar a indicação como também par a pr opor cionar uma b oa carr eir a internacional ao filme. – Se esti v ermos entr e os cinco , será bom par a o cinema nacional como um todo – obser v a Mariza, pr odutor a de -->Salve ger al -->, que, de - pois de ser pré-selecionado em 2009, aca bou não entr ando na lista final . – Qualquer filme indicado par a o Oscar , seja búlgar o ou se - negalês, aumenta suas c hances de f az er uma boa carr eir a internacio - nal. -->Lula -->tem g r andes c hances: o F a bio Barr eto ( -->que ainda se r ecu - per a de acidente sofrido em dezem - bro -->), já concorr eu ao Oscar ( -->com ‘O quatrilho’ -->) e apr esenta uma figur a de r ele vância m undial. Pr odutor a de -->Lula -->, P aula Bar- r eto r ece beu a notícia à pré-in- dicação com “c hor adeir as e c o- memorações”. – T odos estão m uito feliz es – r e v ela P aula, cujo filme já tem distribuição gar antida nos Estados Unidos. – A comissão está de pa - r a béns. É um ór gão independente que escolheu o filme mais ade - quado par a o festi v al. É um me - lodr ama, uma história emocionan - te sobr e um -->self-made man -->, que v ai tocar o júri do Oscar , composto por pessoas de uma certa idade. Aliás, m uita gente tem nos dito que este é um filme m uito “americano”, em seu tema e sua narr ati v a. N o e x - terior , estão v endo o filme pelo que ele é. Não tem o viés político . Dir etor do elo giado -->Bróder -->, que concorr eu com Lula pela v a - ga, J effer son De diz que v a i tor- cer par a “os Barr etos” na ceri- mônia, em fe v er eir o . – P ar a f alar da escolha da co - missão , fico c om a pur eza da con - v er sa e das per guntas de dona Sô - nia, minha mãe – conclui o cineasta. – Ela per guntou: “Será que os ame - ricanos vão gostar? Não er a o Lula que esta v a n um arr anca-r a bo da - nado com os americanos por causa do Irã? Seu filme, meu filho , tam - bém não é um r etr ato do Br asil?”-->Escolhaapolítica-->É o que garante a comissão que selecionou ‘Lula, o filho do Brasil’ para r epr esentar o país no Oscar-->A TÉ OS 35 ANOS -->– Rui Ricar do Diaz na pele do jovem Lula