Exposições

-->diorigido por Carlota Portella (Duração: 40 minutos). -->Teatro Armando Gonzaga -->, Av. General Osvaldo Cordeiro, 551, Marechal Hermes (2332-1040). Cap.: 275 pessoas. 5ª, às 19h. R$ 4. Estudantes e maiores de 65 anos pagam meia. Livre.-->DANÇA/GRÁTIS-->GRAFISMOS -->– Concepção, direção e coreografia de Paulo Caldas. Bailarinos: Maíra Maneschy, Na- tasha Mesquita, Paula Maracajá, Renata Versiani e Toni Rodrigues. Bailarinos convidados: Barbara Li- ma e Danilo D’Alma. O espaço é ocupado por uma instalação em que se projetam imagens de corpos em movimento e videografismos. Nela, performan- ces coreográficas se alternam misturando elemen- tos de dança contemporânea, balé clássico e dança de rua. Paralelamente, a companhia Staccato, di- rigida pelo coreógrafo Paulo Caldas exibe suas mais recentes obras de videodança, reconcebidas es- pecialmente para o vídeo. -->Caixa Cultural -->, Av. Almirante Barroso, 25, Centro (2544-4080). Horário Instalação Videográfica: 3 ª a sáb., das 10h às 22h; dom., das 10h às 21h. Horário Performances: 3ª e 4ª, do meio-dia às 14h; 5ª a sábado, das 18h às 20h; dom., das 17h às 19h. Grátis. 14 anos. Até 26 de setembro.-->Exposições-->ABERTURA-->HELIO NOMURA -->– Traços ecológicos bem di- ferentes da realidade em uma viagem psicodélica. Na exposição de Helio Nomura, japonês que vem pela primeira vez para o Rio, a tecnologia tem papel fundamental na hora de representar a natureza. Ela não aparece de forma rebuscada, mas em uma explosão de cores que leva aos personagens de filmes japoneses de animação. Doze obras serão expostas e em alguma peças e possível expe- rimentar a sensação de 3D. -->Espaço Eliana Ben- chimol -->, Av. Atlântica, 4240, loja 203, Copacabana (2513-3307). 2 ª a 6 ª , d a s 1 2 h à s 19h; sáb., das 12h às 18h. Grátis. Até 23 de outubro. -->Abertura hoje às 19h. -->LUCIO SALVATORE -->– Uma série de retratos nada convencionais. Na exposição One Blood, de Lucio Salvatore, os retratados utilizam o próprio sangue nas obras. Além dos 17 retratos de pessoas que doaram o próprio sangue para seus retratos, a exposição conta com um vídeo e mais 12 retratos de personalidades como Vinicius de Moraes, Oscar Niemeyer e Marina Abramovic, para quem Lucio Salvatore acredita dever tributos e agradecimentos por inspiração e ensinamento. A mostra é também uma forma do artista homenagear e agradecer a cidade que o recebeu bem e o inspirou Centro Cultural Correios, Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro (2253-1580). 3ª a dom., das 12h às 19h. Grátis. Até 31 de outubro. -->Abertura hoje às 12h -->PÁGINA DUPLA -->– A abertura de ideias dos artistas e do processo de construção da obra de arte será exposto ao público na exposição Página Dupla. Com obras de Ana Freitas e Gustavo Peres, cadernos dos dois artistas com todas as suas anotações, de- senhos, pesquisas, serão exibidos. O público tende a se sentir atraído pelo íntimo presente em cadernos e diários. Para matar a curiosidade, cadernos como Introdução ao Estudo da Forma , de Ana Freitas e Vermell , de Gustavo Peres poderão ser folheados por todos; outros serão desmanchados e trans- formados em quadros. Obras geradas a partir desse material t ambém estarão presentes. Quem tiver interesse em comprar, as obras variam ente R$ 100 e R$ 7 mil. -->Jaime Portas Vilaseca Galeria -->, Av. Ataulfo de Paiva, 1.079, subsolo 109, Leblon (2274-5965).2 ª a 6 ª , das 10h às 19h; sáb, das 10h às 14h. Grátis. Até 23 de outubro. -->Abertura hoje às 10h.-->EM CAR T AZ-->ANELAR -->– Telas e diferentes suportes como pe- dras, vidro, metais e imagens fotográficas fazem exemplares. Dentre os que estarão expostos -->A divina comédia -->, de Dante Alighieri. Títulos auto- grafados, como -->Olinda: segundo guia prático, his- tórico e sentimental de cidade brasileira -->, de Gilberto Freyre, também compõem a mostra, j untamente com objetos pessoais de Vargas, como msua mesa de trabalho e a farda utilizada na cerimônia de posse da Academia Brasileira de Letras, em 1943. -->Museu da República -->, Rua do Catete, 153, Catete (3235-2650). 3 ª a 6ª, de 10h às 18h; sáb., dom., e feriados, de 13h às 18h. R$ 6, grátis às 4ª e dom. Até 30 de setembro. -->EDGARD DE SOUZA -->– Edgard de Souza apresenta na Galeria Artur Fidalgo trabalhos recentes que exploram a corporeidade. Apesar de ser uma ca- racterística marcante em sua obra, dessa vez, as formas não remetem diretamente ao corpo humano, mas ao mobiliário, que, ganha um movimento animal e disfuncional. A exposição apresenta também a série Manchas falsas : trabalhos bidimensionais que inventam padronagens artificiais em pele de vaca. Na série das mesas, o mobiliário torna-se móvel; em Manchas falsas , o nu de outras obras torna-se pelagem, com manchas acentuadamente gráficas. Edgard de Souza não faz uma exposição individual no Rio de Janeiro desde 1991. -->.Galeria Artur Fidalgo -->, Rua Siqueira Campos, 143, ljs 147/150, 2º piso, Copacabana (2549-6278). 2ª a 6ª, das 10h às 19h, sáb., de 10h às 14h. Grátis. Até 9 de outubro. -->EMMA LIVINGSTON -->– Primeira exposição no Brasil da fotógrafa, a -->Paisagens Interiores -->é composta por duas séries que enfocam paisagens, urbanas ou rurais. A primeira foi realizada na região nordeste da Argentina, entre 2005 e 2007, na qual aparecem paisagens monocromáticas com toques abstratos. E -->Tree portraits -->aposta no figurativo ao registrar pai- sagens utilizando a mesma luz. -->Ateliê da Imagem Espaço Cultural -->, Av. Pasteur 453, Urca (2541-3314). 2ª a 6ª, de 10h às 21h; sáb de 10h às 18h. Grátis. Até 22 de outubro. -->ENRICA BERNARDELLI -->– Exposição -->Filme U -->, apresenta fragmentos de um filme imaginário. As imagens, livres da película, renascem como objetos, em projeções ou esculturas. Fotografias e outras esculturas também compõem a exposição. -->Galeria Laura Alvim -->, Av. Vieira Souto, 176, Ipanema (2332-2017). 3ª a dom., de 13h às 21h. Grátis. Até 3 de outubro. -->EXPEDIÇÃO LANGSDORFF -->– Exposição com cer- ca de quatro mil documentos sobre a principal expedição exploratória ocorrida no Brasil no início do século 19. Percorrendo o Rio, São Paulo, Minas, Mato Grosso e Pará, interior à dentro, a missão abrangeu vários campos de investigação científica a partir de registros em diários de viagens e desenhos e aquarelas do alemão Johann Moritz Rugendas e dos franceses Aimé-Adrien Taunay e Hercules Flo- rence. -->Centro Cultural Banco do Brasil -->, Rua Primeiro de Março, 66, Centro (3808-2020). 3ª a dom., de 9h às 21h. Grátis. Até 26 de setembro. -->FLIEG: FOTÓGRAFO -->– Exposição apresenta r e- trospectiva obra do alemão Hans Gunter Flieg com 180 imagens. Flieg r egistrou, por 40 anos, o de- senvolvimento industrial brasileiro, além de ter do- cumentado o design, a arquitetura e a publicidade no país entres os anos de 1940 e 1980 – fotografando instalações industriais, edificações e objetos que revelam esse período. Na exposição, os visitantes poderão ver, por exemplo, imagens das instalações industriais de empresas como Willys-Overland, Mer- cedes-Benz e Marcas Famosas S/A, pioneiras da indústria automobilística no Brasil. -->Instituto Moreira Salles -->, Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea (3284-7400). 3ª a 6ª, de 13h às 20h; sáb., dom., e feriados, de 11h às 20h. Grátis. Até 20 de outubro. -->FRED SANDBACK: OS ESPAÇOS NAS ENTRE- LINHAS -->– A mostra traça um panorama da obra de Fred Sandback (1943-2003), iniciada em 1968, quando ele estudava escultura na Yale School of Art and Architecture, em Nova York. O público poderá conferir não só as esculturas, mas também trabalhos parte da obra de Adriano Mangiavacchi. O artista expõe série de trabalhos recentes que perpassam a pintura em direção a experimentação contempo- rânea. Na mostra, apresentada por Fernando Coc- chiarale, o anel simboliza a união e a comunhão, de unidade e comunidade, de ligação, de casamento, de congraçamento e de abraço, de continuidade, símbolo de determinadas condições sociais. Obras de artistas como Richard Long, Kenneth Nolan, Jasper Johns, Robert e Sonia Delaunay também estarão presentes na exposição. As peças do artista possuem diversas possibilidades pictóricas, resul- tantes de uma pincelada livre e despreocupada com o espaço, que permite ao artista atravessar a pintura em direção às múltiplas possibilidades de expe- rimentação contemporânea. -->Marcia Barrozo do Amaral Galeria de Arte -->, Av. Atlântica, 4.240, sub- solo, lj, Copacabana (2521-5195). 2ª a 6ª, das 10h às 19h, sáb., d a s 1 4 à s 17h. Grátis. Até 16 de outubro. -->ANITA MALFATTI – 120 ANOS -->– Considerada a mais importante retrospectiva da obra da artista paulistana, a exposição contempla todas as fases e vertentes da trajetória artística de Anita Malfatti, precursora do modernismo na arte brasileira. Ao todo são 120 obras, vindas de 70 museus e de algumas coleções particulares. A mostra inclui obras que raramente foram mostradas ao público, sendo algumas inéditas em exposições. -->Centro Cultural Banco do Brasil -->, Rua Primeiro de Março, 66, Centro (3808-2020). 3ª a dom., de 10h às 21h. Grátis. Até 26 de setembro. -->ANNA MARIA MAIOLINO -->– Linhas e fios des- dobram-se e se metamorfoseiam na exposição -->Por um fio. -->Estão nos derrames de nanquim, no vinco das dobras, n a i n c i são de cortes, no rasgo do papel, na geometria dos traços, no fio da cos - tura. -->Mercedes Viegas Arte Contemporânea -->,, Rua João Borges, 86, Gávea (2294-4305). 2ª a 6ª, de 12h às 20h, sáb., de 16h às 20h. Grátis. Até 30 de outubro. -->ANNE ROCHA -->– Obras abstratas, cores fortes e composições carregadas de energia plástica. Na exposição Cor, Luz e Harmonia , a artista ca- tarinense busca traduzir a sensibilidade contida na imaginação de cada um. -->Centro Cultural Clube Militar -->, Av. Rio Branco, 251, Centro (2220-3348). 2ª a 6ª, das 12h às 17h. Grátis. Até 8 de outubro. -->ANTONIO, LUIZ E BINA: ELES USAM BLACK-TIE -->– O título da exposição faz menção as 15 fotografias em preto e branco de Antonio Augusto Fontes, Luiz Braga e Bina Fonyat (1945-1985). A mostra coletiva, com cinco obras de cada artista, marca um ano de atividades da galeria. -->Galeria da Gávea -->, Rua Mar- quês de São Vicente, 431, loja A, Gávea (2274-5200). Visitação mediante agendamento. Grátis. Até 30 de setembro. -->ANTONIO SAGGESE -->– Após bem-sucedida tem- porada no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, para onde atraiu mais de 30 mil espectadores, a exposição fotográfica do paulista Antonio Saggese chega ao Rio com imagens que procuram resgatar o arrebatamento do homem diante da natureza. Em -->Pittoresco -->, imagens de nuvens, céus, águas e galhos, revelam a possibilidade de manipulação de imagens a partir de novas tecnologias. -->Galeria Tempo -->, Avenida Atlântica, 1.782, Copacabana (2255-4586). 3ª a sáb., de 11h às 19h. Grátis. Até 23 de outubro. -->CARMEN MIRANDA: CARICATURAS -->– A Pe- quena Notável ganha mais uma exposição em sua memória. Traços exagerados, deformados e muito engraçados compõe as caricaturas expostas. São 20 trabalhos de Luiz Fernandes, criados em Hol- lywood e no Rio de Janeiro. Alguns foram feitos a pedido da própria Carmen, que considerava Luiz Fernandes um grande amigo e seu cartunista fa- vorito. Museu Carmen Miranda. Av. Rui Barbosa, s/nº - Parque do Flamengo, Flamengo (2334-4293). Grátis. Até 20 de dezembro. -->CASINHA DAROS -->– Exposição de 45 fotografias dos alunos dos bairros da Urca, Botafogo e Maré a partir da prática artesanal conhecida como pinhole, baseada no princípio da câmera escura. A ex- posição é resultado do -->Projeto casinha daros -->, criado em 2007, fruto de uma parceria entre a Casa Daros e a Escola de Fotógrafos Populares da Maré, ligada ao Observatório de Favelas. -->Galeria 535 -->, Rua Teixeira Ribeiro, 535, Maré (3105-4599). 2ª a 6ª, de 9h às 18h. Visitações agendadas no fim de semana. Grátis. -->CELINA PORTELLA E JULIANA CERQUEIRA -->– Como parte do projeto NAT_EAV_LAB, que mistura arte e tecnologia, a exposição apresenta a obra -->Para espectadores remotos -->, de Celina Portella, na qual ela cria composições com imagens de diversas naturezas, utilizando diferentes meios de apresen- tação, tais como projeção, reprodução em tela de LCD e colagem, além de objetos como espelhos, lentes, entre outros. Já em -->Som-ma -->, de Juliana Cerqueira, uma instalação sonora simula o modelo de redes neurais utilizando celulares. -->Galeria EAV -->, Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico (3257-1800). 2ª a 5ª, das 9h às 22h; 6ª, sáb., dom. e feriados, de 10h às 17h. Grátis. Até 3 de outubro. -->A CÉU ABERTO -->– A exposição coletiva irá ocupar a parte externa do centro cultural. No alto da parede voltada para a Av. Presidente Vargas serrá pintada a seguinte frase do cearense Leonilson (1957-1993): Observar e dar chance a minha curiosidade . No pátio lateral, ficará a i nstalação sonora -->Porto de aproximação -->, de Paulo Vivacqua. Trata-se de uma trilha sonora de 47 minutos, composta por música clássica e sons que lembram o mar. Ao fundo do pátio lateral estará disposta a pintura -->O mergulho -->, na qual o artista Geleia da Rocinha retrata um es- cafandrista observando inusitados personagens de um balneário marinho. A pintura mede 17 metros de comprimento e dois de altura. O outro lado do prédio abrigará a série -->Pássaros no muro -->, composta por cinco painéis grafitados por Smael. -->Casa Fran - ça-Brasil -->, Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro (2332-5120). 3ª a dom., de 10h às 20h. Grátis. Até 10 de outubro. -->COLEÇÃO BRASILIANA ITAÚ -->– Mais de 300 peças - entre pinturas, aquarelas, desenhos, gra- vuras, mapas e livros - ligadas à história do Brasil vão fazer parte da mostra. Sob curadoria de Pedro Corrêa do Lago, será a primeira vez que a obra Souvenir de Rio de Janeiro será exibida. Outro destaque na exposição é o retrato de Dom Pedro II, ainda jovem, realizado por Rugendas em 1846. O Brasil colonial, com enfoque no Brasil holandês também é representado. Outra parte fundamental da exposição é formada por um conjunto de quadros e gravuras dos viajantes e naturalistas, com ênfase na iconografia do Rio de Janeiro e de São Paulo, e nos álbuns de gravuras da fauna e flora brasileiras. Entre os destaques estão Panorâma da Cidade de São Paulo [Provìncia], 1821, de Arnaud Julien Pallière, e o recém-descoberto Segundo Casamento de D. Pedro I, 1829, de Debret. A última parte da mostra contém livros de grande relevância na cultura bra- sileira, manuscritos de todos os governantes do país e documentos do período da escravidão. Um dos mais amplos e significativos acervos de memória histórica e visual brasileira formado nos últimos 10 anos, por iniciativa do empresário Olavo Setubal. Até agora já foi vista por quase 100 mil pessoas. -->Museu Nacional de Belas Artes -->, Av. Rio Branco, 199, Centro (2219-8474). 3ª a 6ª, das 10 às 18h, sáb., dom. e feriado, de meio-dia às 17 h. R$ 5. R$ 2 alunos da rede particular. Estudantes da rede pú- blica, menores de 10 anos e i dosos não pagam. Grátis aos domingos. Até 21 de novembro. -->COTIDIANO IMAGINÁRIO -->– Sete bonecos, com tamanhos entre 32 e 35 cm expostos dentro de cenários para os quais foram criados. Mas o di- ferencial é a forma de confeccioná-los. Materiais reaproveitáveis como isopor, espuma, madeira, fita sintética, entre outros são utilizados e cada um é manipulado por três pessoas. Eles foram criados na oficina realizada pela Cia. Articulação com 90 alunos de escolas públicas de Petrópolis. -->Galpão das Artes Urbanas Helio Pellegrino -->, Rua Padre Leonel Franca s/n, Gávea (2249-2286). 2ª à 6ª, das 9h às 17h. Grátis. Até 30 de outubro. -->CHRISTIAN LEPERINO -->– Degradação urbana nas cidades industriais é o t ema da exposição -->Human Escape -->. A exposição conta com 14 pinturas em grande formato feitas em óleo sobre PVC ex- pandido. -->Museu de Arte Contemporânea de Ni- terói- MAC -->, Mirante da Boa Viagem, Boa Viagem, Niterói (2620-2400). 3ª a dom., das 10h às 18h. R$ 4. Meia-entrada para idosos. Grátis para menores de 7 anos. Até 3 de outubro. -->CRISTINA SALGADO -->– Criar uma obra para o antigo cofre da Casa França-Brasil. Cristina Salgado é a primeira a aceitar o desafio, desenvolvendo a instalação Vista . É como se a obra fizesse parte da mesma estrutura. Toda a extensão da parede do fundo do cofre será recoberta por uma pele dra- peada, formando relevos que podem sugerir dobras corporais. A presença do corpo é dada, mais ex- plicitamente, pela visualidade rósea do material e seu aspecto orgânico. Assim, as relações entre a exterioridade da pele, a i nterioridade do cofre e a função visual indicada pelo título são algumas das peças com as quais a artista conta para acionar uma produção de significações poéticas por parte do observador. -->Casa França-Brasil -->, Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro (2332-5120). 3ª a dom, das 10h às 20h. Grátis. Até 7 de novembro -->DANIEL TOLEDOLAMBE -->– Sob Curadoria de Du- cha galerias do Espaço Municipal Sérgio Porto recebe a exposição -->Lambe lambe troca troca -->.O artista apresentará um painel gigante de 2x40 me- tros, criado especificamente para o espaço da galeria e que ocupa todas as paredes do local. No painel, oito imagens em tamanho real registram a performance troca troca , na qual oito pessoas enfileiradas se despem e trocam as roupas. -->Centro Cultural Municipal Sérgio Porto -->, Rua Humaitá, 163, 2º andar, Humaitá (2266-0896). 3ª a dom., das 14h às 22h. Grátis. Até 29 de novembro. -->DAVID BATCHELOR -->– O britâncio David Batchelor expõe, pela primeira vez na cidade, obras feitas com objetos coloridos do cotidiano e cores industriais. Na exposição Chromophillia um conjunto de 100 de- senhos e uma projeção de slides da série Found monochromes estará presente. -->Paço Imperial, Praça Quinze de Novembro -->, 48, Centro (2533-4407). 3ª a dom., do meio-dia às 18h. Até 31 de outubro. -->DR. GETULIO: ENTRE O TRABALHO E OS LI- VROS -->– Exposição que conta com 50 edições raras de livros da biblioteca pessoal do ex-presidente Getulio Vargas, que contava com cerca de mil menos conhecidos do artista, como desenhos, gra- vuras, litografias e serigrafias, realizados ao longo de cerca de 40 anos de carreira. -->Instituto Moreira Salles -->, Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea (3284-7400). 3ª a 6ª, de 13h às 20h; sáb., dom., e feriados, de 11h às 20h. Grátis. Até 24 de outubro. -->FRUTO ESTRANHO -->– Obras monumentais que somadas pesam 20 toneladas. Na exposição de Nuno Ramos, três peças inéditas serão exibidas. Sob curadoria de Vanda Klabin, Fruto Estranho , Verme e Monólogo para um Cachorro Morto ocuparão três mil metros quadrados. A obra que dá nome à mostra, se constitui de dois aviões mo- nomotores reais, embrenhados em dois troncos de árvores. Um monitor de vídeo com a cena, em câmera lenta, do filme A Fonte da Donzela (1960), de Ingmar Bergman, também será exibida com trilha sonora de Strange Fruit (Fruto Estranho), com- posta em 1936 por Abel Meeropol. A obra Verme é composta de duas imensas esferas de areia socada, com 3,4 m de altura. De dentro das esferas sairá um filme projetado na parede, em que dois atores, sentados em cadeiras colocadas a 3,5m de altura, lêem o texto Verme , escrito por Nuno Ramos. Os atores falam as palavras alternadamente, exceto os substantivos e a palavra verme , ditos em uníssono. A terceira peça são cinco pares de lápides de mármore, colocados de frente uns para os outros, com um texto incrustado na face interna, dificultando a leitura. Há também um vídeo com imagens de um cachorro morto numa rodovia em São Paulo, e o som da leitura do monólogo escrito pelo artista. Seis especialistas das áreas de arte, literatura, música e cinema foram convidados a fazer duas perguntas ao artista, via email. Além do cineasta Arnaldo Jabor, o compositor e ensaísta Francisco Bosco, a doutora em Letras Madalena Vaz Pinto, o curador do MAM Rio, Luiz Camillo Osorio, e os críticos de arte Paulo Sergio Duarte e Ronaldo Brito. -->Museu de Arte Moderna -->, Av. Infante Dom Henrique, 85, Flamengo (2286-7926). 3ª a 6ª, das 12h às 18h; sáb., dom., e feriado, das 12h às 19h. R$8. Idosos e estudantes maiores de 12 anos pagam meia. Grátis para amigos do MAM e crianças até 12 anos. Aos domingos, ingresso família para até 5 pessoas R$ 8. Até 07 de novembro. -->GENEALOGIAS DO CONTEMPORÂNEO - CO- LEÇÃO GILBERTO CHATEAUBRIAND -->– Com peças do período moderno até o ano de 1970, a exposição traz o acervo de Gilberto Chateaubriand. Sob curadoria de Luiz Camillo Osorio, a mostra reúne 100 obras. Dentre elas, diversos artistas como Anita Malfati, Carlos Vergara, Alfredo Volpi, Oswald Goeldi, Helio Oiticica, Wesley Duke Lee, Tarsila do Amaral, Flávio de Carvalho, entre outros, es - tarão com pinturas, esculturas, fotografias, de - senhos e objetos expostos. -->Museu de Arte Moderna -->, Avenida Infante Dom Henrique, 85, Flamengo (2240-4944?). 3ª a 6ª, de meio-dia às 18h, sáb. e dom.de meio-dia às 19h. R$ 8. Até 31 de dezembro. -->HÉLIO OITICICA -->– A Casa França-Brasil recebe a retrospectiva da obra de Hélio Oiticica (1937-1980). Com curadoria de Fernando Cocchiarale e Cesar Oiticica Filho, a exposição -->Museu é o mundo -->possui 90 peças, além de filmes, fotografias e documentos. -->Casa França-Brasil -->, Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro (2332-5120). 3ª à dom., das 10h às 20h. -->Paço Imperial -->, Praça Quinze de Novembro, 48, Centro (2533-4407). 3ª à dom., de meio-dia às 18h. -->Centro Cultural Cartola -->, Rua Visconde de Niterói, 1296, Mangueira (3234-5777). 3ª à dom., das 10h às 18h. -->Museu de Arte Moderna -->, Avenida Infante Dom Henrique, 85, Flamengo (2240-4944). 3ª a dom., das 10h às 18h. Grátis. Até 21 de novembro. -->IMPERMANÊNCIA -->– Sob curadoria de Alberto Sa- raiva, o misticismo do jogo de tarô se mistura ao universo da bolsa de valores nessa vídeoinstalação. Criado pelos artistas Luisa Friese e Ricardo Cutz, o projeto une tecnologia a arte e espiritualidade a economia. -->Oi Futuro Flamengo -->, Rua Dois de Dezembro, 63 (Nível 8), Flamengo (3131-3060). 3ª a dom., das 11h às 20h. Grátis. Até 3 de outubro-->OBRA DE HELIO NOMURA