Correção historica

-->Divulgação-->Gustavo Castagnello/Divulgação-->Daniel Schenker-->Determinados dr a - matur gos dei - xam de ser ence - nados por uma simples questão de injustiça histórica. Este é o caso de Lope de V ega (1562- 1635), céle br e autor do Século de Our o Espanhol, que agor a ganha súbito r esgate atr a vés da montagem de -->Gatomaquia -->, a s- sinada pelo dir etor uruguaio Hector Man uel V idal (em tem - por ada até domingo , no T eatr o P oeir a, em Botaf o go), e do filme -->Lope -->, dirigido por Andruc ha W ad dington, uma das atr ações do F esti v al do Rio , que começa se xta-feir a. P ar a completar , a atriz P aula Sandr oni via biliza o pr ojeto de encenação de -->A c o- média do ciúme ou o cão de guar - da da horta -->em 2012, nos 450 anos de nascimento do autor . Além de assinar a dir eção , V idal adaptou -->Gatomaquia -->, te xto de 1634 centr ado nas confusões de dois gatos, -->Mar - ramaquiz -->e -->Micifuf -->, às v oltas com a bela -->Zapaquilda -->. – Encontr ei o original na mi - nha biblioteca. T inha compr a - do , mas aca bei não lendo na época. Lope de V ega a bor da di - v er sos conflitos humanos atr a - vés de gatos. Como leitor es e espectador es, aceitamos sem questionar – comenta V idal. – Neste te xto , ele ri da vida, dei - xando , contudo , tr anspar ecer certa queixa, possi v elmente r e - lacionada ao sofrimento decor - r ente de casamentos, desterr os e f alta de r econhecimento . Di vidida em sete partes, -->Ga - tomaquia -->f orneceu oportunida - de par a o encenador testar f or - mas de contar a história. –Utilizamos instrumentos, bonecos, f az emos r eferência à tele visão , ao hip hop – en umer a V idal, que conduz quatr o ato - r es f ormados na Escola de Arte Dr amática de Monte vidéu. Andruc ha W ad dington, que estr eia -->Lope -->nos cinemas em 26 de no v embr o , não esconde a sur pr esa ao constatar o des- conhecimento em r elação a um autor que pr oduziu tanto como Félix Lope de V ega. – E le escr e v eu entr e 800 e 1.800 obr as teatr ais e mais de 4 m il poemas. É um ícone na Espanha e conhecido na Amé- rica Latina por f az er parte do currículo escolar , m as só – es- panta-se Andruc ha. O f oco do filme r ecai sobr e os anos de pr ojeção inicial de Lope como dr amatur go . – F oi o que me atr aiu no r o - teir o – assume Andruc ha, que de 2006 a 2009, mer gulhou na pesquisa sobr e Lope de V ega, enquanto tenta v a le v antar v er - ba par a o pr ojeto , via bilizado g r aças à Conspir ação e à TV espanhola Antena 3. P aula Sandr oni planeja desde 2005 montar -->O cão de guarda da horta -->, também de Lope de V ega. F inalmente conseguiu a par ce - ria da pr odutor a T ema Ev entos Cultur ais e con vidou J oão F on - seca par a assumir a dir eção . – Cortei bastante e não manti v e a estrutur a original em v e r sos. Planejei a ence- nação par a 10 ator es. T ambém suprimi um pouco do cunho r eligioso – assume, acer ca da peça centr ada na paixão de uma p er sonagem nobr e por um de seus empr egados.-->RISADAS E QUEIXAS -->– ‘Gatomaquia’, do ur uguaio Hector Manuel Vidal, r esgata texto escrito em 1634 -->JOVEM AUTOR -->– ‘Lope’, de Andr ucha-->histórica-->Pouco encenado apesar da pr odução extensa, o dramatur go espanhol Lope de V ega é agora celebrado nos palcos e no cinema