Estilistas e marcas reagem à epidemia

Macaque in the trees
Armani agora só produz roupas descartáveis para proteger profissionais da saúde (Foto: Ansa/Claudio Onorati)

Uns aproveitam as facilidades da internet para se contactar com seu público. Em vez de vender roupas e acessórios, sugerem exercícios e promoções bem diferentes.

Outros usam o poder de produção para fornecer peças e utensílios úteis.

A seriedade destas atitudes do setor de moda fica evidente no fato de que não há uma peça de roupa ou sugestão de compra no lançamento destas iniciativas.

Movimento é fundamental

Muitos canais exibem rotinas de meditação, podcasts de ajuda psicológica. A Track&Field aposta na vida saudável, que exige movimento, exercícios, mesmo dentro de casa. A programação tem aulas de yoga, alongamento, pilates, funcional e até crossfit. (site: tf.com.br/continue-em-movimento)

Coleções especiais

Sem babados nem frufrus, várias marcas estão produzindo peças para as equipes médicas. A Marisa entregou 15 mil camisetas brancas para profissionais da área de saúde através da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo. As camisetas brancas facilitam as trocas e lavagens frequentes. “Esse é o nosso jeito de agradecer e, sobretudo, de ajudar as pessoas que estão bravamente cuidando de todos nós”, afirma Marcelo Pimentel, CEO da Marisa.

 A Vivara distribuiu 10 mil kits de higiene (álcool em gel, sabonete antibacteriano, máscara e um folheto com dicas da OMS) para comunidades brasileiras em parceria com a Cruz Vermelha Brasileira. Fornecedores de tecidos e fábricas do Rio Grande do Sul foram mobilizados pela Arezzo&Co para entregar 25 mil máscaras de proteção para moradores do Vale dos Sinos.

 Na Itália, Giorgio Armani foi o primeiro a fechar todas as suas lojas, e agora anunciou a conversão de toda a sua produção italiana para roupas de laboratório descartáveis para proteger os profissionais da saúde.  "Quando jovem, pensei em seguir uma carreira na Medicina. Somos solidários e estamos próximos destas equipes, desde os maqueiros até a enfermagem, dos clínicos aos especialistas e pesquisadores. Pessoalmente, estou junto com vocês”, concluiu em pronunciamento oficial.

Para lavar as mãos

O grupo LVMH (Louis Vuitton Moet Hennessy), a L´Oréal e a marca Estée Lauder estão substituindo os perfumes e cosméticos pela fabricação de álcool gel e sabonetes bactericidas para profissionais das linhas de frente e para comunidades carentes. “ Nesta crise sem precedentes, nossa responsabilidade é contribuir de todas as formas possíveis com o esforço coletivo”, afirmou Jean-Paul Agon, presidente da L´Oréal.

Para os pequenos

A Calçados Bibi lança um desafio no instagram @bibi: postar uma gargalhada dos filhos, netos, sobrinhos, crianças que estão na quarentena, com a hashtag #RisadaMaisGostosa. Os melhores vídeos serão postados pela marca diariamente até a Páscoa, em 12 de abril.

Ajuda dos digitais

A Amaro abriu os canais do Instagram e do Pinterest para a ação Corrente do Bem, que divulga projetos de pequenos empreendedores e iniciativas sociais que apoiam comunidades carentes. Um deles foi o Vizinho Amigo, da ONG Atados, que cuidam do próximo, realizando compras no mercado ou farmácia, passeiam com pets ou telefonam para pessoas sozinhas, para aliviar a sensação de solidão.

E para ter uma trilha musical, nada como ouvir Bach, Villa Lobos, Vivaldi e Beatles nos vídeos gravados por musicistas como a pianista Clara Sverner, a soprano Marli Montoni e jovens do Concertos Cripta – 100 anos.

Os vídeos estão nas redes sociais do projeto www.instagram.com/concertoscripta www.facebook.com/concertoscripta www.youtube.com/concertoscripta