Testes da CoronaVac feitos no Brasil registraram eficácia de 50,38%, diz Butantan

.

Foto: Reuters/Tingshu Wang
Credit...Foto: Reuters/Tingshu Wang

O governo de São Paulo anunciou, nesta terça-feira (12), que a eficácia global da CoronaVac, vacina contra a covid-19 desenvolvida em parceria da farmacêutica chinesa Sinovac com o Instituto Butantan, é de 50,38%.

A divulgação do percentual de eficácia foi feita pelo secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e por integrantes do Centro de Contingência de combate ao coronavírus no estado de São Paulo. O governador João Doria (PSDB) não participou da cerimônia.

O índice de 50,38% se refere à eficácia global, isto é, a capacidade da vacina em proteger em todos os casos: leves, moderados ou graves.

"Essa vacina tem segurança, tem eficácia, e todos os requisitos que justificam o uso emergencial", disse Dimas Covas.

O Butantan pediu na última sexta-feira (8) autorização para o uso emergencial da CoronaVac à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O diretor de pesquisa do Instituto Butantan, Ricardo Palácios, lembrou que o imunizante atingiu 78% de eficácia em casos leves e 100% em casos graves e moderados.

"A gente tinha previsto que a vacina tinha que ter uma eficácia menor em casos mais leves e uma eficácia maior em casos moderados e graves e nós conseguimos demonstrar esse efeito biológico esperado. Esta é uma vacina eficaz. Temos uma vacina que consegue controlar a pandemia através desse efeito esperado que é a diminuição da intensidade da doença clínica", afirmou.

Cerca de 12.500 profissionais de saúde em 16 centros de pesquisa se voluntariaram para fazer os testes do imunizante no Brasil. (com agência Sputnik Brasil)